Blog de Tec

Nada que é digital nos é estranho

 

Veja foto do Motorola Droid 4

Reprodução/Droid Life

O Droid Life obteve imagens do Droid 4, da Motorola (no Brasil, a linha Droid é conhecida como Milestone).

Segundo o site, o aparelho terá tela de quatro polegadas, teclado físico iluminado e 4G.

Se o Droid Life estiver certo, o sistema será o Android 2.3.5, e não a versão mais nova, a 4.0 (Ice Cream Sandwich), anunciada neste mês. Mas isso --fragmentação do Android-- é assunto para um próximo post.

Escrito por Rafael Capanema às 19h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Microsoft imagina futuro em vídeo-conceito

Celulares sem moldura, tablets flexíveis, comandos de voz, óculos capazes de fazer tradução simultânea, projeções, gestos no ar, videoconferências a granel, geladeiras inteligentes: assim é o futuro imaginado neste vídeo-conceito da Microsoft publicado nesta terça-feira (25):

E você, o que acharia de viver num futuro assim?

Escrito por Rafael Capanema às 17h03

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Veja comparação de gravação de vídeo entre iPhone 4S e câmera profissional

A Robino Films fez uma comparação de gravação de vídeo entre um iPhone 4S e uma Canon 5D Mark II (uma das principais câmeras usadas nas produções da TV Folha, aliás).

Para tornar o embate mais justo, a produtora pareou a configuração dos dois aparelhos e usou um suporte para permitir que ambos registrassem as mesmas cenas simultaneamente.

O resultado, surpreendente, você vê abaixo (não deixe de alternar para a resolução máxima, em tela cheia):

Escrito por Rafael Capanema às 18h39

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Designer do iPod exibe seu novo projeto: um termostato

O homem que desenhou o hardware do iPod se demitiu da Apple e fundou uma fabricante de termostatos.

Uma reportagem de Steven Levy, da "Wired", fala sobre o novo projeto de Tony Fadell, ex-vice-presidente sênior da divisão de iPod da Apple, que saiu da empresa em 2008.

Em 2010, ele fundou a Nest, e a empresa anunciou recentemente seu primeiro produto: um termostato inteligente:

O aparelho vai aprendendo sozinho os hábitos de seu proprietário e se autoprograma. Isso, segundo Fadell, pode ajudar muita gente a economizar energia.

Escrito por Leonardo Luís às 20h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Site reúne telas de apresentação de games antigos

O Title Scream é um mosaico de cultura pop que provoca overdose de nostalgia um que tenha jogado videogame nos anos 90. O site reúne telas de apresentação de jogos antigos, de 8 e 16bits, de videogames como Master System, Mega Drive, NES e Super NES. Algumas das telas são animadas e reproduzem fielmente os inícios dos jogos.

"Deus te abençoe. Há algo de mágico, visceral e efêmero na apresentação desses títulos", disse um gamer fanático no perfil no Facebook do projeto. As imagens são atualizadas periodicamente.

Não sou do tipo que acha que somente jogos antigos são bons (postei ontem aqui no blog o trailer do Call of Duty: MW3, uma das minhas séries preferidas), mas às vezes bate uma saudade do 2D e da diversão nonsense, do enredo absurdo e extremamente simples. 

Veja abaixo algumas das telas. Para ver o mosaico completo, acesse o site da Title Scream.

A última imagem obviamente não é tão legal quanto as outras, mas eu a incluí por insistência de Emerson Kimura, também repórter de Tec e fã do jogo Toejam & Earl.

 

 

 

 

 

 

Escrito por Alexandre Orrico às 17h11

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Aplicativo notifica sobre novas imagens de satélite de um lugar

Com o aplicativo Follow Your World, ou Acompanhe Seu Mundo, você pode receber notificações sobre quando uma imagem de satélite de determinada área retratada pelo Google Earth ou pelo Google Maps for substituída por uma nova imagem.

As notificações sobre as áreas que o usuário quiser acompanhar são enviadas por e-mail a cada atualização. 

O usuário abre uma interface com um mapa, escolhe o endereço que quer acompanhar e clica em Enviar. A partir daí, passa a receber as atualizações.

Mas, segundo o FAQ (lista de perguntas mais frequentes) do aplicativo, atualizações sobre determinados pontos podem demorar meses ou até anos para aparecer.

Para usar o Acompanhe Seu Mundo, é preciso ter uma conta no Google e se associar com ela ao aplicativo.

O Nieman Journalism Lab ressalta que o aplicativo cria um meio fácil de acompanhar, por exemplo, os efeitos de catástrofes climáticas ao longo do tempo.

O Acompanhe Seu Mundo não é a primeira ferramenta baseada nos serviços de mapa do Google que permite ao internauta observar a evolução histórica de imagens de satélite.

O próprio Google tem o Historical Imagery, que não manda notificações, mas tem registros de imagens de mapas passados e permite ao usuário navegar por uma linha do tempo com a evolução de um lugar.

Escrito por Leonardo Luís às 16h14

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Veja o trailer do jogo Call of Duty: Modern Warfare 3

A série de FPS (tiro em primeira pessoa) mais vendida de todos os tempos está de volta.

A Activision liberou no sábado o trailer de Call of Duty: Modern Warfare 3, oitavo jogo da franquia, que será lançado em 8 de novembro. Veja abaixo:

Você vai precisar de uma máquina bem robusta para rodar o jogo. Segundo o site Game Debate serão recomendados 3 Gbytes de memória RAM e de um processador Pentium Dual Core de 3.06GHz ou equivalente, além de no mínimo 16 Gbytes livres no disco rígido.

O game é sequência direta de Modern Warfare 2. O ultranacionalista Vladimir Makarov retorna como o antagonista principal e a Rússia continua sua ofensiva contra os Estados Unidos, que é ampliada para outros países, como Inglaterra, França e Alemanha. O continente africano também receberá algumas missões do jogo.

Escrito por Alexandre Orrico às 18h36

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O mais impressionante de tudo sobre o vídeo do bebê que manipula revistas como se fossem um iPad



Você certamente viu este vídeo, que já soma mais de 2,6 milhões de visualizações no YouTube. Uma criança de um ano manipula revistas de papel como se fossem um iPad, e o autor do vídeo sugere que ela faz isso por ter familiaridade com o tablet da Apple.

“Para a minha filha de um ano, uma revista é um iPad que não funciona. Vai ser assim pelo resto de sua vida. Steve Jobs codificou uma parte de seu sistema operacional.”

A última frase pode indicar uma brincadeira, uma piada. Talvez seja uma dica – “não leve essas afirmações a sério, estou apenas brincando nesta homenagem a Steve Jobs”. Pelo teor dos textos que acompanham o vídeo em diversos sites, porém, muita gente parece ter levado a ideia a sério.

“Para bebê, uma revista é um iPad que não funciona”, “Bebê adorável acha que revista é um iPad quebrado”, “Bebê descobre diferença entre revista e iPad” e “Bebê de um ano acha que revista é um iPad que não funciona” foram alguns títulos usados em escritos sobre o vídeo.“Como uma apaixonada por revistas e livros (feitos de papel), [esse vídeo] me deixa um pouco triste”, chegaram a dizer.

Come on. Give me a break. Incrível. Quanta tolice.

O vídeo tem causado cerca polêmica. Neste momento, sua página no YouTube lista mais de 2.300 comentários. Dos usuários que votaram, mais de 5.000 disseram ter gostado, contra quase 3.000 que clicaram no polegar para baixo. Um dos comentários mais votados começa com a seguinte frase: “Minha filha faz isso com revistas e livros, e ela nunca viu um iPad na vida”. Para TheMatthewChivers e mais um monte de gente, o bebê manipula revistas como se fossem um iPad simplesmente porque, bem, ele é um bebê. E bebês agem dessa maneira – mesmo sem conhecer iPad, Steve Jobs ou touchscreens.

Daniel Donahoo, que escreve para o blog GeekDad, do site da “Wired”, concorda com essa visão. Em um post intitulado “Por que o vídeo ‘Uma Revista É um iPad que Não Funciona’ é ridículo”, diz:

“Esta criança está usando suas habilidades motoras finas em desenvolvimento para explorar o mundo. Veja, ela não aprendeu a tocar, pinçar e deslizar a partir de um dispositivo da Apple – tenho certeza de que Steve Jobs não alegaria que os aparelhos de sua empresa podem ser tão instrumentais na mudança do processo de desenvolvimento em crianças. As habilidades motoras finas que vemos em operação são as habilidades motoras finas que todas as crianças adquirem e melhoram no decorrer de seu desenvolvimento inicial; somos exigidos a tocar, deslizar e pinçar com nossos polegares e indicadores bem antes de o primeiro iPhone chegar ao mercado.”

Donahoo vai além: diz que o interessante não é o iPad mudar o “sistema operacional” da menina, mas fazer uso de habilidades motoras finas tão essenciais na nossa interação com o mundo que alguém com apenas um ano de idade consegue mexer no aparelho (embora não de maneira completamente adequada). E isso, acredita ele, contribui para tornar o iPad e outros aparelhos com touchscreen tão divertidos.

A questão a ser feita, diz Donahoo, é qual será o papel da tecnologia de toque no desenvolvimento das habilidades motoras finas – que até hoje envolve atividades com coisas como papel, tesoura, cordão, cartões, massa de modelar e blocos de Lego.

Mas não vale responder que “as crianças mexerão em revistas como se fossem um iPad”. Pois isso elas já fazem. E tem pouco ou nada a ver com o aparelho da Apple.

Cabe ainda outra pergunta: por que e como diabos tanta gente comprou a ideia do autor do vídeo? Isso é o mais impressionante de tudo.

Escrito por Emerson Kimura às 20h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Veja duelo de iPhone 4S contra rifle com munição incendiária

A premissa de Richard Ryan para o projeto Tech Assassin é bem simples: gadgets são descritos rapidamente e depois aniquilados por armas de fogo poderosas.

No vídeo abaixo, a vítima é um iPhone 4S que recebe tiros do BMG Sniper Rifle Cal.50 (equipado com munição incendiária).

"Siri, você é à prova de balas?", pergunta Richard ao assistente virtual presente na nova versão do iPhone.

Outras batalhas são: lança-chamas versus GSlate, da LG e Xbox 360 versus explosivo C4.
 

Escrito por Alexandre Orrico às 18h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

23 de outubro de 2001: Steve Jobs apresenta o iPod

A edição desta semana do caderno Tec é dedicada ao iPod, que completa dez anos neste mês.

Em 23 de outubro de 2001, Steve Jobs apresentou a primeira versão do aparelho – compatível apenas com Mac, ela tinha capacidade de armazenamento de 5 Gbytes e conexão FireWire (o padrão USB foi introduzido apenas em sua terceira geração).

Abaixo, você pode assistir à apresentação do primeiro iPod. A parte favorita de Bruno Romani, autor da nossa reportagem sobre o decenário do icônico aparelho, está logo no começo do vídeo, quando Jobs chama a atenção para o fato de a “revolução da música digital” não ter um líder de mercado: “Ninguém, ainda, encontrou a receita para a música digital. E nós achamos que não só podemos encontrar a receita, mas que a marca Apple vai ser fantástica [em música digital], porque as pessoas confiam na marca Apple para obter seus ótimos eletrônicos digitais”.

Quem quiser assistir ao evento na íntegra pode usar esta lista de reprodução (clique aqui) montada pelo usuário do YouTube FatalExceptionError. São seis vídeos, que totalizam mais de 50 minutos. Jobs começa a apresentar do iPod no meio do segundo vídeo.

Escrito por Emerson Kimura às 06h38

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Clipboard captura telas preservando links

Serviços como o Delicious, o StumbleUpon e o Diigo ajudam a arquivar páginas favoritas, compartilhá-las de forma organizada e manter anotações sobre elas. Navegadores como Firefox e Chrome têm extensões que facilitam o processo de capturar telas, como esta aqui. O Clipboard, por enquanto aberto só a convidados, é mais ou menos a junção desses dois tipos de ferramentas.

Ele captura e guarda pedaços de páginas preservando quase todos os objetos interativos presentes: links, vídeos, botões... Também serve para compartilhar essas capturas, organizá-las e fazer anotações e comentários sobre elas.

O Clipboard captura pedaços de códigos, em vez de registrar a página inteira ou capturar só uma imagem da tela, como fazem outras ferramentas. Uma consequência disso é que eu posso guardar para sempre, com os links, inclusive, determinado status de uma página que sofre atualizações frequentes, como a página das chamadas de Tec. (Deixei aqui um registro de parte das chamadas de Tec feito às 20h50 de 18 de outubro.)

Testei com algumas páginas o recurso de captura, que é bastante intuitivo, e em geral ele funcionou muito bem. Só em algumas, como a página inicial do Google, o resultado da captura ficou mais ou menos desengonçado.

O Clipboard ainda tem recursos sociais, como a opção de seguir um amigo e assinar as atualizações dele, ou de mencioná-lo usando uma arroba, como se faz no Twitter.

As páginas podem ser guardadas de forma pública ou privada e organizadas em três modos de visualização diferentes. 

Para já se cadastrar sem precisar de convite, há uma alternativa indicada pelo meu colega de Tec Emerson Kimura (que foi quem me recomendou o Clipboard): entre nesta página do site Technology Review e clique no link "here", que está no meio do texto.

Veja aqui um vídeo sobre o Clipboard.

Escrito por Leonardo Luís às 21h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Advogada da Samsung não consegue diferenciar Galaxy Tab de iPad durante audiência

Jo Yong-Hak - 10.ago.11/Reuters

iPad 2, à esquerda, e Galaxy Tab 10.1, à direita

"Jogados na mesa da sala, não dá para dizer de relance quem é quem: o novo tablet da Samsung, o Galaxy Tab 10.1, ou o da Apple, o iPad 2."

Essas são as primeiras palavras de um dos textos de Fernanda Ezabella, correspondente da Folha em Los Angeles, na edição de 18 de maio de Tec (ela foi a única jornalista brasileira a participar do Google I/O 2011, em San Francisco, e a testar o Galaxy Tab 10.1, apresentado no evento).

Pois a Fernanda não foi a única a notar a... hmmm, notável semelhança entre os dois tablets, como relata a Reuters.

Durante a audiência em que se concluiu que o Galaxy Tab viola patentes do iPad, nesta quinta-feira (13), a juíza Lucy Koh segurou os dois tablets no ar e perguntou a Kathleen Sullivan, advogada da Samsung, se ela sabia dizer qual era o iPad e qual era o Galaxy Tab.

"Não dessa distância, vossa excelência", respondeu Sullivan, que estava a cerca de três metros dos aparelhos. Koh repetiu a pergunta para os outros advogados da Samsung, e um deles deu a resposta certa.

Escrito por Rafael Capanema às 15h56

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Siri, assistente de voz do iPhone 4S, tem senso de humor

O assistente de voz do recém-lançado iPhone 4S, o Siri, está recebendo muitos elogios de quem já teve a chance de testá-lo, em geral. Alguns veículos de imprensa, como o "Washington Post" e o Macworld, enaltecem seu senso de humor.

Joshua Topolsky, do site This is my next, fez uma lista de capturas de tela com tiradas do Siri que ele classificou como "esquisitas".

"Tire uma foto", disse Topolsky, e o assistente respondeu: "Joshua, não sou um fotógrafo muito bom".

Topolsky perguntou: "Onde posso comprar umas drogas?", e o assistente respondeu indicando dois centros de tratamento de dependência química próximos dele.

Veja outros exemplos do senso de humor do Siri aqui.

Escrito por Leonardo Luís às 15h48

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No futuro, Photoshop poderá corrigir fotos tremidas

Para ver direito, habilite a resolução máxima (720p).

A Adobe não diz se nem quando o recurso será incorporado ao Photoshop.

Escrito por Rafael Capanema às 20h12

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Contemplando o Instagram no Android e na web

Instagram, que permite aplicar efeitos retrô às suas fotos no iPhone, tem planos de chegar ao Android, mas ainda não se sabe quando isso vai acontecer.

Falei sobre ele pela primeira vez por aqui em novembro do ano passado, com certa ironia, mas, nas últimas semanas, tenho me divertido bastante publicando e vendo fotos nele.

Só que com um detalhe: eu não tenho um iPhone. Tiro as fotos em um Samsung Galaxy S II, com Android, e passo-as para o iPad, que uso para aplicar os filtros e publicar as imagens. Como observou o galhofeiro Leonardo Martins, colaborador de Tec, "é muita vontade de instagramar".

Quase um ano depois daquele post, persiste a omissão que me incomodou: não dá para ver no site oficial do Instagram uma galeria com todas as fotos de um usuário --para isso, só usando o aplicativo.

Quando não estou com o iPad, uso o site Statigram para ver, comentar e dar like em fotos do Instagram. A interface é excelente, praticamente todas as funções estão disponíveis (exceto publicar fotos, o que só pode ser feito no próprio Instagram), e é possível criar uma página pública para que qualquer pessoa veja suas fotos. E, como sugere o nome, o Statigram ainda gera uma série de estatísticas interessantes sobre sua conta, como os filtros que você mais usa, os seguidores que mais interagem com as suas imagens e as suas fotos mais populares.

Fotos Reprodução

Statigram

Dá para acessar o Statigram e outros clientes de web do Instagram (Extragram, Webstagram) no navegador do Android, mas eles não estão otimizados para as telinhas dos celulares. Uma solução mais prática para quem tem um telefone com o sistema do Google é instalar o aplicativo gratuito Instaroid. Ele é um pouco rústico, mas tem quase todas as funcionalidades básicas, como comentar e favoritar fotos. Enquanto o aplicativo oficial do Instagram não chega, dá para o gasto.


Instaroid

Escrito por Rafael Capanema às 00h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Aplicativo para iPhone lê tuítes em voz alta, mas só em inglês

O Tweet Speaker (US$ 2,99), para iOS (sistema do iPhone, do iPod touch e do iPad), lê tuítes em voz alta usando sintetizador de voz. Deve ser legal para usar no carro e na cozinha, como sugerem os criadores. 

Infelizmente, ele só funciona em inglês.

Abaixo, um vídeo de demonstração do aplicativo:

Via Lifehacker

Escrito por Rafael Capanema às 19h20

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Termo 'visionário' cresce 266 vezes em 1 dia no Twitter

Aparentemente, um dos termos mais usados para homenagear Steve Jobs nas últimas horas foi "visionário".

O gráfico abaixo, do Topsy, respalda essa impressão. Ele mostra a evolução do número de menções no Twitter ao termo ao longo da última semana.

Em 4 de outubro, foram 88 menções. No dia 5, 23.397 menções --crescimento de quase 266 vezes.

Veja o gráfico aqui.

Escrito por Leonardo Luís às 17h32

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Amazon Kindle continua com falta de suporte ao formato EPUB

Kindle (AZW), TXT, PDF, Audible (Audible Enhanced (AA,AAX)), MP3, MOBI não protegido, PRC nativamente; HTML, DOC, DOCX, JPEG, GIF, PNG, BMP por meio de conversão.

Esses são os formatos de conteúdo suportados pelo novo Kindle Touch, da Amazon. O modelo mais barato, chamado apenas de Kindle, não reproduz áudio. O tablet Kindle Fire, por sua vez, suporta mais alguns formatos, como OGG, MP4 e VP8.

Foi meio decepcionante ver que nenhum dos novos modelos de Kindle (assim como os velhos) oferece suporte a EPUB, um padrão bem difundido de distribuição de documentos digitais. Gratuito e aberto, é adotado por muitos repositórios de livros eletrônicos e compatível com leitores como Barnes & Noble Nook, iRiver Story e Sony Reader, além de vários tablets. Mas não com o e-reader da Amazon.

Vejo dois perfis de leitores que, por conta dessa limitação, podem se frustrar muito ao ter um Kindle: 1) os que leem sobretudo obras que estão em domínio público; 2) os que não querem ler em inglês.

Para os leitores do primeiro tipo, tenho a impressão de que a coisa está melhorando – parece-me cada vez mais fácil achar obras em domínio público disponíveis no formato do Kindle. Para os do segundo, o negócio é mais complicado. No Brasil, especificamente, as lojas costumam vender e-books apenas em EPUB ou PDF, e o catálogo em português na Amazon é bem limitado.

A farta disponibilidade de obras em domínio público e em português (ou outras línguas que não o inglês) no padrão PDF, que é compatível com o Kindle, não melhora muito as coisas, pois o aparelho da Amazon oferece um suporte muito limitado ao formato. Os níveis de zoom, por exemplo, são todos predefinidos (ajustar para caber, tamanho real, 150%, 200%, 300%) – não é possível dar um zoom de 130%. (Essa opinião sobre o suporte a PDF é baseada na minha experiência com o Kindle 3, atual Kindle Keyboard, mas acredito que os novos modelos – com exceção do Fire – não apresentem melhora significativa nesse quesito.)

Os donos de Kindle nos Estados Unidos ainda sofrem com o problema de muitas bibliotecas trabalharem prioritariamente com EPUB.

A questão do EPUB gera discussões intermináveis, como esta no fórum da Amazon, com 642 posts desde dezembro do ano passado. Não são raros os comentários na linha “comprei um Nook/Sony Reader/outro concorrente em vez de um Kindle por causa da falta de suporte deste a EPUB”.

Uma solução comumente utilizada é converter arquivos em EPUB (ou mesmo em PDF) para MOBI, formato semelhante ao AZW. O resultado, porém, pode variar.

Escrito por Emerson Kimura às 06h54

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Veja lista de rumores sobre evento da Apple que não se concretizaram

Robert Galbraith/Reuters

Tim Cook, executivo-chefe da Apple, durante anúncio do iPhone 4S

Grandes eventos da Apple sempre são precedidos por dezenas de rumores.

A seguir, uma lista de boatos que circularam por aí e não se concretizaram hoje:

  • O novo iPhone seria totalmente redesenhado e teria uma tela maior (o iPhone 4S tem design idêntico ao de seu antecessor, o iPhone 4)
  • O iPod classic seria extinto (não foi mencionado, mas continua vivo)
  • A Apple anunciaria dois novos iPhones (foi só um)
  • O aplicativo do Facebook para iPad seria apresentado (nenhum sinal)
  • A Sprint teria feito um acordo bilionário para lançar o novo aparelho com exclusividade nos EUA (a operadora de fato vai começar a vender o iPhone, antes restrito à AT&T e à Verizon, mas sem exclusividade)
  • O botão Home teria um novo design, mais alongado, e poderes multitoque (como disse acima, o design é o mesmo)

Via TechCrunch

E você? O que achou do evento da Apple? Confira, abaixo, a cobertura completa da Folha:

Escrito por Rafael Capanema às 19h12

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

O Blog de Tec é uma extensão da cobertura sobre tecnologia da Folha. É produzido por Alexandre Orrico, Emerson Kimura e Rafael Capanema.

BUSCA NO BLOG


SITES RELACIONADOS

RSS

ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. � proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.