Blog de Tec

Nada que é digital nos é estranho

 

Indique seus sites favoritos

BlogDay

 Blog Day 2008

Domingo de BlogDay, iniciativa criada "na convicção de que os bloggers deverão ter um dia dedicado ao conhecimento de novos blogs, de outros países ou áreas de interesse". 

A proposta é que blogueiros recomendem novos endereços de blogs a seus visitantes.

Para participar, siga as instruções do site:

  1. Liste cinco novos blogs que você ache interessantes
  2. Notifique por e-mail esses cinco bloggers de que serão recomendados por você no BlogDay 2008
  3. Publique no BlogDay esse post
  4. Junte a tag do BlogDay usando este link:
    http://technorati.com/tag/blogday2008 um link para o site do BlogDay: http://www.blogday.org

Escrito por Daniela Arrais às 16h44

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Do netbook LG x110 para o Circuito Integrado

Pequenos invasores

Estou na feira de eletronicos de consumo IFA, teclando direto da novidade da LG, o netbook X110. O micrinho eh uma beleza, tem versao com 3G e GPS integrado.

Os netbooks, alias, estao em todos os lugares da feira. Marcas turcas, chinesas, coreanas e alemas, entre outras nacionalidades, exibem seus ultraportateis. Alguns chegam logo ao mercado, outros ateh o inicio do proximo ano.

Por enquanto a concorrencia nao teve um impacto substantivo nos precos. A maioria custa o equivalente aos existentes no mercado. Ainda assim, quem esta em duvida se compra um micro desses, e nao tem urgencia, eu recomendo que espere alguns meses. As opcoes vao aumentar, sem duvida.

Como voces perceberam, nao usei acentos --o teclado nao esta no nosso padrao, e tem gente na fila para ver o aparelhinho.

Aqui na Alemanha, vivi  outro grande problema de adaptacao. O Google nao pode usar a marca Gmail (aqui eh Google Mail). Ainda que o endereco www.gmail.com pertenca a empresa, eles tambem nao podem vincula-lo ao servico. Apenas um recado explicando a situacao eh exibido, com o endereco correto.

Esse eh um problema maior do que parece pela internet, mas agora nao para falar sobre isso.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 11h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Subnotebook da Dell e as teclas de função

F1, F2, F3, F4...

A Dell tem liberado aos pedacinhos alguns detalhes sobre o subnotebook Inspiron 910, ainda a ser lançado. Primeiro ele apareceu nas mãos de Michael Dell, depois surgiram fotos de divulgação, uma tabela com as supostas especificações...

Agora, apareceram na parte de suporte técnico do site da Dell informações sobre o teclado, os LEDs e os drives ópticos externos compatíveis.

Com tantas empresas lançando ou prestes a lançar subnotebooks, há quem esteja esperando a Dell apresentar o seu antes de escolher um.

Já se sabia há algum tempo, por meio de fotos que circulam na internet, que o Inspiron 910 não teria as teclas de função (F1, F2, F3, F4 etc.). Com a imagem (que ilustra este post) e as especificações que surgiram agora, descobriu-se que elas estão lá, mas que é preciso usar a combinação Fn + A, S, D, F, G, H, J, K, L e ; para ativá-las.

Trata-se de uma solução engenhosa para amenizar um dos principais problemas dos subnotebooks: o tamanho do teclado. Mas, para quem gosta de usar atalhos de teclado, pode ser irritante.

Um exemplo: para fechar uma janela usando o famoso Alt+F4, será preciso pressionar Alt+Fn+F. Isso sem contar que o F11 simplesmente não está lá –entre outras funções, a tecla é usada para ativar o modo de tela cheia no Firefox e no Internet Explorer, recurso especialmente útil nas telinhas diminutas dos subnotebooks.

Ganha-se no tamanho do teclado, mas se perde a praticidade de algumas combinações de teclas. Se vale a pena? Pode ser, desde que o 910 saia pelos US$ 300 propagados em rumores.

Escrito por Rafael Capanema às 17h45

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Opentape espalha mixtapes pela internet

Fita aberta

Depois de sair do ar por "problemas com a Riaa", o Muxtape foi assunto neste blog e no caderno Informática da Folha de ontem.

E nada como um dia após o outro dia: eis que surge nesta semana o Opentape, "pacote gratuito e em código aberto que permite a você criar e hospedar suas próprias mixtapes na internet" (segundo o site, o Opentape não é filiado ao Muxtape, mas eu tenho minhas dúvidas).

A instalação é simples: basta descompactar o arquivo zip e subir os arquivos e pastas no seu site. Testei e funcionou perfeitamente. A interface é praticamente igual à do (finado?) Muxtape.

Ao descentralizar as mixtapes, o Opentape promete dar ainda mais trabalho para a Riaa, que se vê, de um dia para outro, diante de milhares de potenciais alvos.

Escrito por Rafael Capanema às 15h32

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bloomberg "mata" Jobs em despacho errado

Steve está vivo...

...e feliz em Cupertino ou algures, apesar de a Bloomberg ter distribuído ontem um obituário incompleto do presidente da Apple. O erro da agência de notícias econômicas chegou ao site de fofocas Gawker, que traz toda a história em detalhes *(AQUI, em inglês).

O extenso artigo é um obituário preliminar de Jobs e traz até uma lista de nomes de pessoas que podem ser entrevistadas para mais informações sobre a carreira e a vida pessoal do executivo (o co-fundador da Apple, Steve Wozniak, e o chefão da Oracle, Larry Ellison, são algumas delas).

O grande feito de Jobs, segundo o obituário, foi ter ajudado a fazer os computadores pessoais ficarem tão fáceis de usar quanto um telefone, mudado a forma de fazer filmes, convencido o público a se ligar na música digital e dado um superbanho de loja no velho e bom celular.

Claro que foi um grande e grave erro da Bloomberg, mas a distribuição do obituário soa mais mórbida atualmente porque recentes aparições públicas de Jobs fizeram com que alguns levantassem a lebre sobre sua alquebrada saúde. Ele já combateu com sucesso um câncer no pâncreas, mas pareceu muito magro no anúncio do iPhone 3G...

A agência logo percebeu a falha e mandou um erramos superformal e vago no final da tarde: "Uma história incompleta sobre a Apple Inc. foi publicada inadvertidamente pela Bloomberg News às 4h27 da tarde desta quarta-feira (horário de Nova York). O texto não era para publicação e foi retirado do ar".

Escrito por Rodolfo Lucena às 13h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vírus eletrônico incomoda até no espaço

Praga em órbita

A agência espacial norte-americana confirmou: computadores portáteis levados em julho último para a Estação Espacial Internacional (ISS na sigla em inglês) estão infectados por um vírus eletrônico conhecido como Gammima.AG.

A praga foi descoberta em agosto. Nas máquinas infectadas, o infeliz fica espionando para tentar roubar nomes de login em jogos populares.

Segundo a Nasa, esta não é a primeira vez que computadores infectados viajam para o espaço. E garantiu de pés juntos que o vírus não vai afetar de forma alguma o funcionamento de qualquer equipamento da estação especial.

Os notebooks infectados eram usados para executar o programa de nutrição dos astronautas e para permitir que eles mandassem e-mails para a Terra. E não estão equipados com programas antivírus.

Agora a Nasa tenta descobrir como eles foram infectados. Como não há ligação direta de rede, os técnicos imaginam que os vírus tenham sido carregados em algum pen drive contaminado.

Até agora, diz a Nasa, as pragas foram apenas uma incomodação, sem maiores conseqüências.

Agora, me diz: se o sujeito não pode usar seu notebook em paz no espaço sideral, onde é que a gente vai ficar livre dos malditos vírus?

E outra coisa: não saia de casa sem seu programa antivírus.

Escrito por Rodolfo Lucena às 12h33

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Projeto experimental da Mozilla quer "conectar a internet"

Ubiqüidade

Muito interessante o Ubiquity, novidade da Mozilla Labs, área de projetos experimentais da fundação responsável pelo Firefox.

O Ubiquity parte do esquisito –mas verdadeiro– pressuposto de que "a internet é desconectada". Como assim?

Primeiro exemplo: você vai convidar alguém por e-mail para ir a um restaurante. Não há, ainda, um jeito de colocar o mapa do restaurante e reproduzir resenhas on-line dele na mensagem sem dar vários cliques e comandos nem acessar uma série de sites.

Com o Ubiquity, você escreve a mensagem no webmail, sublinha o endereço do restaurante e digita "map". Surge, na mesma tela do webmail, o mapa do local. De lá mesmo, você acrescenta o mapa na mensagem. Vale o mesmo para as resenhas. Você digita "yelp [nome do restaurante]" e a avaliação dos usuários do Yelp, site de resenhas de restaurantes, vai direto para o corpo do e-mail.

Outro exemplo: sublinhe um trecho de uma página em japonês e digite "translate" –a tradução, feita "debaixo dos panos" pelo Google Translate, aparece na própria página. Mais um: sublinhe o nome de uma pessoa e simplesmente digite "wikipedia" para ler o artigo sobre ela na Wikipédia.

E por aí vai. Para usar um termo da moda, são mashups de sites que não requerem conhecimentos de programação.

Para entender melhor, veja o vídeo de demonstração abaixo:

Para quem quiser se aventurar, a extensão já está disponível para download. Como é de se esperar de uma versão 0.1 alpha, o Ubiquity ainda tem alguns bugs e não funciona exatamente como o esperado. Mas já integra 30 serviços on-line e demonstra um ótimo potencial.

Escrito por Rafael Capanema às 13h36

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

CNET News faz reportagem sobre informática no Brasil

Morumbi e Paraisópolis

Ina Fried/CNET News

A página inicial do CNET News estampa hoje uma bandeira do Brasil. É a chamada para a primeira parte de uma série de reportagens especiais sobre informática na América Latina.

O texto abre descrevendo os vizinhos Morumbi e Paraisópolis, respectivamente bairro luxuoso e favela gigante de São Paulo, para simbolizar os contrastes de um país que, apesar de já ser o quinto maior mercado de PCs do mundo, ainda tem problemas como o precário sistema de educação. Leia aqui.

Escrito por Rafael Capanema às 17h59

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Veja mapa do mundo baseado em medalhas

Geografia do esporte

O "The New York Times" fez um gráfico que mostra os países do mundo em tamanhos proporcionais ao número de medalhas olímpicas.

O legal é que existe uma linha do tempo que mostra os resultados desde 1896, a primeira disputa moderna.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 19h51

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Firefox não vai bem no Brasil

Copo pela metade

Apesar de a consultoria Predicta detectar um crescimento no uso do Firefox de 36% neste ano, no Brasil, o navegador vai mal nessas terras. É utilizado em apenas 8,2% da navegação na internet, ante 90,74% do Internet Explorer, de acordo com a consultoria.

Muito pouco quando comparado aos cerca de 20% que aparecem em pesquisas globais. Em alguns países, como a Finlândia, o navegador praticamente divide o mercado com o IE.

Podem reclamar por eu achar ruim o desempenho, apesar do crescimento de 36%. Mas ir de 6% do mercado aos 8% é ir do pouquíssimo ao pouco.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 12h57

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"ImaginationLand", do South Park, inteiro na rede

South Park


ImaginationLand, episódio de South Park, desenho para adultos, dividido em três partes na transmissão pela TV, foi colocado na íntegra na internet. O melhor --ou o pior, para alguns-- é que ele está na versão do diretor, ou seja, sem os cortes feitos para se adequar à televisão.



Viva o estúdio de South Park, que, para alegria dos fãs, abraçou a transmissão pela internet de verdade, na íntegra e com pouca diferença de tempo entre a primeira veiculação televisiva e a on-line. Ok, tem propaganda no meio do programa, mas ainda assim é melhor do que piratear, némesmo?


E também dá para por trechos dos episódios em blogs e sites.


Por sinal, hoje a CNN abraçou os vídeos virais, ao permitir que seus filmes sejam espalhados em outros sites pela rede, aproveitando o bom momento para esse tipo de lançamento: as eleições norte-americanas.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 18h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jogo Spore tem até criações eróticas

Spore

Um dos jogos mais esperados do ano (ou dos últimos anos), Spore finalmente chega às lojas, depois de muito tempo de desenvolvimento --e atraso.

A Folha testou todas as fases do jogo.

O Brasil recebe o jogo em 5 de setembro, simultaneamente a Europa. Os EUA, só dois dias depois.

Já dá para jogar um pedacinho do game, o Criador de Criaturas (tem versão gratuita e paga). Nesse editor 3D, o usuário consegue fazer vários tipos de bichos (com forma humana, aves, peixes, robôs etc.). Eles podem ser enviados para um banco de dados on-line. Dessa forma, outros jogadores poderão usar a criatura no seu mundo.

Sporn

As criaturas também podem ser enviadas do editor para o YouTube. Os vídeos entram a todo tempo e são sobre tudo. Tem categorias não-oficiais como Homer Simpson, esqueletos e aranhas.

[criatura esquelética criada no Spore]

[Um dos Homers versão Spore]

O editor de criaturas é tão flexível que o pessoal do estúdio da Maxis que desenvolveu o jogo se diz surpreso com as invenções da comunidade.

Já existe, como não poderia deixar de ser, até uma categoria de animais pornográficos, batizada de Sporn. É bizarra, é engracadíssima.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 18h21

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Os fios, finalmente, podem acabar

WHDI

Um consórcio batizado de Wireless Home Digital Interface, formado por gigantes como Sony, Sharp, Motorola e Hitachi, vai colocar, ainda neste ano, uma nova tecnologia no mercado: um chip que permite que os eletrônicos domésticos como aparelhos de som, DVDs e TVs troquem informações sem fio.

A tecnologia de transmissão de vídeo em alta definição foi desenvolvida pela empresa israelense Amimon.

 

Ótimo.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 16h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Riaa fecha site de música

Fora do ar

O Muxtape, site que permite criar seleções de até 12 músicas e compartilhá-las com amigos, está "temporariamente" fora do ar para resolver problemas com a Riaa, entidade que representa a indústria fonográfica dos Estados Unidos.

Em seu blog, o Muxtape afirma que não houve queixas de artistas ou gravadoras. "O site não está fechado indefinidamente. Fique ligado".

A notícia vem depois de o serviço de recomendação de música Pandora ter declarado que pode encerrar suas atividades caso não seja revogada a lei sobre o valor dos direitos autorais que as rádios on-line têm que pagar nos EUA.

Leia sobre o assunto no blog do Pandora: http://blog.pandora.com/pandora/archives/2007/03/riaas_new_royal.html

O Pandora tem acesso restrito a usuários dos Estados Unidos. O Muxtape, por sua vez, está acessível para qualquer país _o que colaborou para a sua popularidade.

Famoso por levar o tradicional hábito de gravar fitas cassete para a rede, o Muxtape foi eleito um dos dez melhores sites de música pelo site da revista "Wired".

Veja a lista em http://blog.wired.com/music/2008/07/listening-posts.html

Em abril, Justin Oullette, fundador do Muxtape, descartou a possibilidade de gravadoras desaprovarem o serviço.

"Selos grandes e pequenos me disseram que estão empolgados com o Muxtape como um modelo de descobrir e vender música. Seleções em fitas casete era uma maneira tão boa de descobrir novas músicas antes da internet, e eu acho que as lições que aprendemos naquela era podem ser trazidas para esta", disse à Wired.

Leia mais sobre o caso do Muxtape no Gizmodo, no Mashable e no TechBlog

Escrito por Daniela Arrais às 17h02

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Conheça o blog oficial sobre o próximo Windows

Windows 7

Como será o próximo Windows, o 7, que vai ter ampla compatibilidade com telas sensíveis ao toque? O que a Microsoft planeja para superar a falação sobre o Vista (apesar de o sistema ter um bom desempenho em vendas)?

Quem tem interesse nessas questões, deve visitar o blog Engineering Windows 7 --que é oficial.

Se a política do site for a mesma do blog sobre o Internet Explorer 7, não espere algo puramente chapa-branca. Os comentaristas sentam o dedo, usando humor, ironia e críticas. As discussões nos comentários são bem bacanas.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 18h28

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Gadgets marrons e elegantes

Cor da discórdia

Quando a Microsoft lançou seu tocador portátil, o Zune, em marrom, muita gente tirou sarro, achou horroroso. Tanto que, na segunda geração do aparelho, a cor sumiu. Pois eu sempre achei o Zune marrom o mais bonito de todos. Não concordam comigo?

Ontem eu descobri que o Aspire One, subnotebook da Acer, vem também em marrom, enquanto navegava no site oficial dele (que é bem legal e informativo, se você desconsiderar os textos publicitários da estirpe de "Seu estilo diz ao mundo quem é você e como você vive sua vida"). Eis o garoto:

Cheguei à conclusão de que, quando bem aplicado, o marrom pode emprestar aos aparelhos uma elegância imbatível. E vocês, o que acham? Indicam mais algum gadget marrom?

Escrito por Rafael Capanema às 14h56

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Conhece mouse gestures?

Você que sabe

No ano em que o mouse completa 40 anos (leia especial da Folha Online) e tem seus dias contados (de três a cinco anos, segundo a Gartner), resolvi ir contra a corrente fúnebre e experimentar mouse gestures no Firefox.

Mouse gestures são formas de usar cliques e movimentos do mouse para realizar alguns comandos no computador (como retornar à página anterior no navegador, por exemplo).

Com este movimento, você fecha uma aba no Firefox

Lembrei-me de um post clássico no saudoso blog Carlos Comenta, que reproduzo abaixo:

 Movimentos do mouse
http://pcworld.uol.com.br/downloads/2005/10/26/idgnoticia.2005-10-26.9284965296/IDGNoticia_view

    "Introduzidos pelo Opera, os movimentos do mouse permitem navegação com simples deslocamentos do dispositivo: o navegador recebe os comandos por meio de traços desenhados com o mouse (...) Esta inovadora característica está disponível no Firefox com a ajuda da extensão Mouse Gesture. Para abrir um link, por exemplo, você precisa apenas passar o mouse sobre ele na vertical (tanto de baixo para cima quanto de cima para baixo) enquanto mantém uma tecla e um botão do mouse pressionados"

OU voce pode clicar no link
cq sabe

Meu veredicto? Achei os mouse gestures bem interessantes –especialmente para retroceder e avançar entre páginas– e já posso me considerar um novo adepto. Quanto ao mouse gesture comentado pelo Carlos, continuo preferindo clicar no link, mesmo.

Escrito por Rafael Capanema às 16h54

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Coloque balõezinhos nos vídeos do YouTube

Legal

O YouTube lançou, faz pouco tempo, uma ferramenta que permite incluir elementos interativos nos vídeos. Dá para colocar legendas, balões de diálogo e até miniaturas de outros vídeos --você clica e vai para outro lugar.

Fica muito legal, mas já percebi que, para variar, estão usando a ferramenta para fazer spam.

Mas o que importa é que, agora, os filmes colocados em blogs e sites foras do YouTube também vão mostrar as legendinhas. Olha só o que dá para fazer:

Esse vídeo aqui ensina como colocar legendas.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 16h00

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Enquete diz que pais têm mais medo de videogames do que de álcool

E daí?


O bom site what they play, uma espécie de guia sobre videogames para pais, fez uma enquete que aponta que os pais têm mais preocupação com os videogames que os filhos jogam do que com a possibilidade deles beberem álcool ou assistirem a pornografia.


A pesquisa tem repercutido --afinal, seria um resultado surpreendente.


Mas não concordo que é surpreendente. Primeiro, enquetes na internet apontam, na maioria das vezes, curiosidades. E, ora, essa foi feita em um site sobre exatamente isso: a relação entre criação dos filhos e jogos eletrônicos. Ou seja: videogame já é uma preocupação de quem entra lá. 


É quase que perguntar para que time você torce na sede da Gaviões da Fiel.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 17h29

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

iPhone 3G com problemas na recepção de dados?

IiiiiPhone

A Wired diz que muitos usuários têm notado inconsistências na conexão de dados do iPhone 3G. Sabendo que 3G são as duas letrinhas responsáveis pela grande inovação dessa nova versão do iPhone, esse não é um pequeno problema.

No próprio fórum da Apple tem uma longa discussão sobre o tema, como apontou a Wired. E ninguém sabe se a origem dos problemas é o telefone ou a rede da operadora AT&T.

De acordo com a CNet, as empresas dizem que não enxergam nada estranho no funcionamento do 3G --mas isso não impede que sites, blogs e fóruns abram tópicos específicos para usuários colocarem suas impressões, na busca de um padrão que ajude a descobrir o que está errado.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 17h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Casaco da invisibilidade, em breve nas lojas

Ficção quase real

Dos livros e filmes de ficção científica. a invisibilidade parece se aproximar da realidade. Pelo menos, a julgar por declarações de cientistas norte-americanos, que dizem estar um passo mais perto do desenvolvimento de materiais que poderia ser usados para fazer roupas que tornariam as pessoas invisíveis.

Pesquisadores da Universidade da califórnia em Berkeley desenvolveram um material que faz com que a luz "se dobre" em torno de objetos tridimensionais, fazendo com que eles "desapareçam".

Os materiais foram criados em nanoescala, uma unidade tão diminuta que é medida em bilionésimos de metro. Mas os inventores acreditam que "um dia" será possível ter esse matéria em escala utilizável.

A equipe, liderada pelo cientista Xiang Zhang, explica que o efeito de curvatura da luz é baseado em refração reversa, o mesmo efeito que faz com que um canudo colocado na água pareça estar partido.

Escrito por Rodolfo Lucena às 11h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Redes sociais são parquinhos para hackers"

Nós sabemos

Os brasileiros sabemos o quanto uma rede social é atraente para hackers. Há quanto tempo que o Orkut é atacado por spams em comentários, links falsos em comunidades, roubos de perfis etc.?

Na minha opinião, o número de fraudes tem diminuído no Orkut (migraram para o Twitter?), na esteira das novas ferramentas de privacidade. Mas não tenho tanta certeza, já que, há algum tempo, desisti de participar de comunidades no site, diminuindo enormemente o número de recados me enchendo a paciência.

Mas os especialistas Nathan Hamiel e Shawn Moyer advertiram, na conferência hacker
Black Hat, que não é bem assim: dizem que redes sociais são parquinhos de diversão para os hackers, e que, agora, os criminosos podem injetar código malicioso nos aplicativos que começam a aparecer para todas as redes.

Fica a sugestão: como bem sabe Paris Hilton, não coloque informações e fotos que não queira (ou não possa) que um dia possam vir a público.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 15h45

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Intervalo para pensar em algo fora de Pequim-08

Barômetro da pá virada

Conheci o professor Valdemar Setzer por telefone na década de 1980, quando várias vezes o entrevistei para reportagens da "Dados & Idéias", revista pioneira no mundo da informática brasileira. O tema era sempre o computador na educação, e ele sempre dava a opinião contrária ao uso da máquina na educação infantil (posição que continua a ter, pelo que vi em seu site).

Pois agora, muitos anos depois, volto a ele por causa de uma história que recebi por e-mail e que foi publicada no site de Setzer. Achei muito bacana e a reproduzo aqui, tal como vista no site. Aliás, achei tão legal que também a coloquei no meu outro site, AQUI.

 

REVOLTADO OU CRIATIVO?

"Há algum tempo recebi um convite de um colega professor para servir de árbitro na revisão de uma prova de física que recebera nota zero . O aluno dizia merecer nota máxima. O professor e aluno concordaram em submeter o problema a um juiz imparcial, e eu fui o escolhido .

Chegando à sala de meu colega, li a questão da prova: Mostre como se pode determinar a altura de um edifício bem alto com o auxílio de um barômetro .

A reposta do estudante foi a seguinte : "Leve o barômetro ao alto do edifício e amarre uma corda nele ; baixe o barômetro até a calçada e em seguida levante, medindo o comprimento da corda; esse comprimento será igual à altura do edifício".

Sem dúvida a resposta satisfazia o enunciado, e por instantes vacilei quanto ao veredicto .

Recompondo-me rapidamente , disse ao estudante que ele tinha respondido à questão, mas sua resposta não comprovava conhecimentos de física, que era o objeto da prova. Sugeri então que ele fizesse outra tentativa de responder a questão . Meu colega concordou prontamente e, para minha surpresa, o aluno também.

Segundo o acordo, ele teria seis minutos para responder a questão, demonstrando algum conhecimento de física .

Passados cinco minutos, ele não havia escrito nada, apenas olhava pensativamente para o teto da sala .

Perguntei-lhe então se desejava desistir , pois eu tinha um compromisso logo em seguida. Mas o estudante anunciou que não havia desistido , e estava apenas escolhendo uma entre as várias respostas que concebera .

De fato, um minuto depois ele me entregou esta resposta: ‘Vá ao alto do edifício , incline-se numa ponta do telhado e solte o barômetro, medindo o tempo T de queda, desde a largada até o toque com o solo . Depois, empregando a fórmula h=(1/2)gt2 , calcule a altura do edifício‘ .

Nesse momento , sugeri ao meu colega que entregasse os pontos e , embora contrafeito , ele deu uma nota quase máxima ao aluno.

Quando ia saindo da sala , lembrei-me de que o estudante havia dito ter outras respostas para o problema. Não resisti a curiosidade e perguntei-lhe quais eram essas respostas.

Ele disse : Ah! sim , há muitas maneiras de achar a altura de um edifício com a ajuda de um barômetro . Por exemplo: num belo dia de sol pode-se medir a altura do barômetro e o comprimento de sua sombra projetada no solo, bem como a do edifício . Depois , usando-se uma simples regra-de-três , determina-se a altura do edifício . Um outro método básico de medida, aliás bastante simples e direto , é subir as escadas do edifício fazendo marcas na parede, espaçadas da altura do barômetro. Contando o número de marcas, tem-se a altura do edifício em unidades barométricas. Um método mais complexo seria amarrar o barômetro na ponta de uma corda e balança-lo como um pêndulo , o que permite a determinação da aceleração da gravidade (g). Repetindo a operação ao nível da rua e no topo do edifício, obtêm-se duas acelerações diferentes , e a altura do edifício pode ser calculada com base nessa diferença. Se não for cobrada uma solução física para o problema, existem muitas outras respostas . A minha preferida é bater à porta do zelador do edifício e dizer: ‘Caro zelador , se o senhor me disser a altura desse edifício , eu lhe darei esse barômetro.‘

A essa altura, perguntei ao estudante se ele não sabia qual era a resposta ‘esperada ‘ para o problema Ele admitiu que sabia , mas estava farto das tentativas do colégio e dos professores de dizer como ele deveria pensar."

Escrito por Rodolfo Lucena às 07h20

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Operadora lança vídeo com famosos do YouTube

Humor

O nome é infame, o vídeo tem qualidade um tanto duvidosa e a musiquinha provavelmente nem vai grudar na cabeça. Mas a nova operadora de telefonia celular Aeiou chama a atenção com um vídeo inspirado no universo das celebridades instantâneas do YouTube.

Assistam: http://www.youtube.com/watch?v=bM-rywMq3Yk

 

Como no vídeo "Pork and Beans", da banda norte-americana Weezer, várias celebridades do YouTube fazem papel principal.

Aparecem Ruth Lemos, a médica do sanduíche-íche, a turma da "Dança da Quadrado", a clássica Maria Alice Vergueiro do "Tapa na Pantera", a autora do hit "Vai Tomar no C*" e até o cara que tomou um choque quando mostrava uvas.

Escrito por Daniela Arrais às 18h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Conta de americano no Google some sem explicação

Das nuvens para o espaço

 

Nasa/Wikimedia Commons

Fala-se muito sobre computação nas nuvens, em que os dados são armazenados e gerenciados em servidores externos, acessíveis em qualquer computador com internet. Eu mesmo uso bastante ferramentas como o Remember The Milk (para lembretes de tarefas) e aplicativos do Google (Gmail, Agenda, Mapas etc.).

O americano Nick Saber, presidente de uma empresa de eventos e mídia, também deixava seus dados nas nuvens. E eles acabaram indo para o espaço.

Certo dia, ele foi acessar sua conta no Gmail e se deparou com a seguinte mensagem:

Desculpe-nos, sua conta foi desativada.

Saber não conseguia mais acessar nenhum dos serviços do Google que usava, como Docs (pacote de escritório), Talk (bate-papo) e Picasa (álbum de fotos). Enviou e-mails para o suporte do Google e recebeu a seguinte resposta:

Obrigado por sua informação. Nós completamos nossa investigação. Por conta de a nossa investigação ter sido inconclusiva, não conseguimos restaurar sua conta neste momento. No Google, levamos a privacidade e a segurança de nossos usuários muito seriamente. Por isso, não podemos revelar nenhuma informação sobre essa conta.

Todos esses aplicativos do Google são gratuitos, mas não se aplica aqui o ditado segundo o qual de cavalo dado não se olha os dentes: Saber pagava para ter armazenamento extra. Felizmente, a conta foi recuperada mais tarde.

Se você ficou aterrorizado com a perspectiva de perder seus dados de um dia para o outro, lembre-se sempre de fazer backup.

Fonte: Chris Brogan

Escrito por Rafael Capanema às 16h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Do Brasil para o mundo - malware no Twitter

Made in Brazil

De acordo com a BBC, a Kaspersky detectou um perfil falso no micro-blog que anunciava filmes pornôs mas entregava um malware, que chegava via download de um falso Flash Player.

Segundo a empresa de segurança, o idioma, o servidor usado para guardar o arquivo de download e o e-mail usado para coletar os dados roubados indicam que a origem do cavalo-de-tróia é o Brasil.

E, diz a notícia, o nome do perfil usado para o crime é "pretty rabbit" em português.

Escrito por Gustavo Villas Boas às 15h47

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Conheça detalhes da gigante internet chinesa

253 milhões


O número de internautas chineses é maior do que o de toda a população brasileira --e não deve parar de crescer tão cedo.


O maior site local, o Baidu, por exemplo, teve um crescimento no faturamento total de 100% do trimestre passado em relação ao mesmo período do ano anterior.


Isso não significa lucros bilionários, mas milionários. Foram cerca de US$ 106 mi no último trimestre, ante US$ 5,3 bi do Google no mesmo período.


Mas o portal, que não é estatal, começa a dar passos internacionais: chegou, há pouco tempo, ao Japão.


Há mais tempo já sofria processos fora e dentro da CHina por supostamente facilitar a violação de direitos autorais por meio de seu conceituado buscador de MP3 --que é, inclusive, usado por estrangeiros. Existem alguns tutoriais na rede de como usá-lo.


O Baidu tem, ainda, sua própria Wikipédia, a Baidu Baike, que é maior do que todas as wikis, com exceção da em idioma inglês.


Quem quiser conhecer mais da internet chinesa, pode apelas para mecanismos de tradução, como o Google Translator. Se você souber inglês, sugiro pedir para traduzir para esse idioma. O resultado parece mais preciso. Para traduzir, basta colocar o endereço de um site no último campo do tradutor e selecionar, embaixo, os idiomas de origem e destino.


E quem quiser saber detalhes, pode ver o impressionante relatório da estatal chinesa que cuida da censurada internet no país. Uma coisa incrível é que um dos usos mais comuns para os chineses são os jogos on-line (59,3%), que tem mais adeptos que o e-mail, até (56%).

Escrito por Gustavo Villas Boas às 15h20

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Yahoo faz parceria com blogueiros

Time

Entrou no ar hoje o Yahoo!Posts, que seleciona conteúdo entre cem blogs do Brasil e de Portugal. Os blogueiros entram com conteúdo, e o Yahoo!, com 3 milhões de leitores por dia, segundo Fábio Boucinhas, diretor de produtos do portal.

O projeto foi lançado no domingo, em um evento no estádio do Pacaembu. A foto acima foi feita por lá.

Para selecionar os posts dos blogs, foi escolhido um editor, o jornalista Pedro Jansen. Para dar conta da quantidade de posts diários, outra equipe foi formada, a de consultores, que conta com Edney Souza, do portal Interney, Alexanfre Inagaki, do Pensar Enlouquece, Gilberto "Knuttz" Soares, do Cybervida, e Nick Ellis, do Digital Drops.

Cada consultor vai acompanhar cerca de 25 blogs diariamente, fazendo avaliações e filtragens e, finalmente, enviando indicações para o editor, que vai checar as informações e produzir uma chamada para o artigo.

Os temas vão de automóveis a humor, passando por política, cidadania, cultura, diversão e tecnologia.

Entre os blogs selecionados, estão: Casa da Narcisa, Eco Blogs, Blog na TV, Goma de Mascar, Objetos de Desejo, Garotas Estúpidas, Moda Sem Frescura, Lounge, Papo de Homem, Sim Viral, Urbanistas, Filmes do Chico, Chuteira de Salto e Minissaia, Diva Diz, 1001 Gatos de Schrödinger, A Nova Corja, Cult Cool Freak e mais diversos outros que vocês podem conferir aqui.

A lista de blogs não é fechada, tanto é que é possível enviar indicações para o editor.

Em tempos de monetização de blogs, perguntei para o Boucinhas se há possibilidade de os blogueiros serem remunerados pelos seus posts, se tiverem uma quantidade de acessos expressiva.

O diretor de produtos do Yahoo!Brasil disse que não haverá remuneração: "Para a maioria dos blogueiros, o que importa é o tráfego no blog. Damos destaque, tráfego e notoriedade para eles".

E o que o Yahoo! ganha com isso? "Queremos transformar o Yahoo! em um lugar aberto. Nossa missão é ser um ponto de partida. Com conteúdo interessante, legal, que gere entretenimento."

Conheça o Yahoo!Posts: www.yahooposts.com

Escrito por Daniela Arrais às 14h52

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Conheça um buscador alternativo

Meta

O Viewzi é um meta-buscador bastante interssante. Você faz a busca, que pode aparecer em diversas apresentações diferentes, e com fontes de conteúdo também diferentes: fotos, sites, sites de compras.

A que eu mais gostei foi a visualização de fotos em 3D. Depois que o Viewzi apresentar os resultados, clique em um ponto da tela e escreva uma outra palavra-chave, veja possíveis relações entre as buscas etc.

 Mas, se você quiser uma alternativa, digamos, prática, para o Google, vá ao Hakia.com

Escrito por Gustavo Villas Boas às 18h08

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Digg é democrático até no cadastro

Recomendação

Antes de tudo, tenho dizer que não sou fã do Digg. Aliás, nem um usuário eu sou; uso pouquíssimo e acho chatinho o site de edição social de notícias.

Mas como sou fã do StumbleUpon, que recomenda novos sites baseados no meu gosto, resolvi fazer uma conta no Digg para testar o mecanismo de recomendação deles. Nem comecei a usar.

Mas devo admitir que a ficha de cadastro do Digg é ótima. No campo gênero, você tem 16 opções (homem e mulher entre elas), inclusive "nenhuma das anteriores".

Alguém usa o sistema de recomendação do Digg? É bom?

Escrito por Gustavo Villas Boas às 15h59

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

História mistura Calvin e Steve Jobs

Tirinha

O que aconteceria se Calvin, do Calvin e Hobbes, encontrasse Steve Jobs, o todo-poderoso da Apple?

Veja a tirinha aqui

A dica é de @frufru

Escrito por Daniela Arrais às 20h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Coréia do Sul tenta controlar internet

Infodemia

A mídia está inundada de notícias sobre a censura chinesa à internet, mas na superconectada Coréia do Sul as coisas não estão exatamente correndo sob os ventos da liberdade.

O novo governo, que já alcança altos índices de impopularidade, especialmente entre a juventude, está tratando de estabelecer novas regras para controlar o uso da internet.

"Precisamos nos proteger contra a infodemia, em que informações falsas ou imprecisas são disseminadas, provocando agitação social como se fossem uma epidemia", disse ao parlamento do país o novo presidente, Lee Myung-bak.

O dirigente, que assumiu o cargo em fevereiro último, foi acusado via internet de se submeter aos desejos norte-americanos e comprar carne contaminada daquele país. As notícias levaram milhares de pessoas às ruas para protestar contra essa ameaça à saúde pública.

Segundo governo, a legislação que quer deverá atacar campanhas difamatórios que surgem na internet. Mas há discordância.

"A regulamentação viola a autonomia da internet e é uma arma do governo para ampliar os controles sobre os meios de comunicação", acredita Lee Han-ki, editor do noticiário internético OhMyNews.

Escrito por Rodolfo Lucena às 18h25

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

O Blog de Tec é uma extensão da cobertura sobre tecnologia da Folha. É produzido por Alexandre Orrico, Emerson Kimura e Rafael Capanema.

BUSCA NO BLOG


SITES RELACIONADOS

RSS

ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. � proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.