Blog de Tec

Nada que é digital nos é estranho

 

Tecnologia brasileira

Cowboy do Oeste paulista

O Laboratório da Tecnologia Aplicada da Unesp-Bauru desenvolveu um computador, voltado ao conteúdo multimídia, de baixo custo. Hoje, ele sairia para o produtor por cerca de US$ 250.

O projeto, batizado de Cowboy, teve início em novembro de 2005. Daniel Igarashi, coordenador do projeto, à época era aluno de graduação do curso de computação da Universidade. "O OLPC (computador de US$ 100) ainda não era um assunto quando começamos. Só em janeiro de 2006, em Davos, que isso ganhou corpo. Nosso objetivo era desenvolver um suporte multimídia acessível e com potencial pedagógico, o preço barato viria com a produção em escala."

Por isso, disse Igarashi, o dispositivo foi desenvolvido considerando tecnologias que eram tendência em 2005. "Usamos vários componentes de TV digital. Quando esse mercado se desenvolver no Brasil, o preço do Cowboy cai junto."

Igarashi explicou que a arquitetura do Cowboy difere de um PC normal. O segundo tem um poder de processamento multitarefas muito maior, enquanto o Cowboy toca arquivos multimídia (música, vídeos e livros) com menos gasto de energia. Ele também aponta a interface como um dos méritos do aparelho. "A operação do computador não é o desafio. O foco é o conteúdo. É um dispositivo leve, que dispensa o mouse. A pessoa pode levar para o banco da praça e ler um livro ou ouvir música."

Igarashi diz que o dispositivo está praticamente pronto para entrar no mercado. "Dá para começar a produção em escala em abril próximo."

O protótipo tem um processador RISC de 400 MHz, 128 Mbytes de memória RAM, LCD de 7 polegadas, 1 Gbyte de disco rígido, conexão wireless e por cabo com a internet e saída de vídeo para TV ou monitor de PC.

Para conhecer o melhor o Cowboy, clique aqui.

Por GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Paula Leite às 14h30

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Animação

Parte I

O leitor Renato (obrigada!) indica a primeira parte da animação publicada no post do Gustavo Villas Boas "Criador contra criatura". Quem quiser assistir entre aqui.

Escrito por Mariana Barros às 13h57

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais a fundo

Web 2.0 à brasileira

Quem quiser saber mais sobre o funcionamento da web 2.0 pode visitar esse link para encontrar uma explicação didática e em português -- sugestão do leitor Theodoro, obrigada.

Escrito por Mariana Barros às 13h25

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Consumidores reagem

Cresce a insatisfação

Os provedores de acesso de alta velocidade à internet que se cuidem: depois de um período de lua-de-mel, em que os consumidores ficavam satisfeitos com qualquer coisa que fosse mais rápida que a maldita linha discada, a situação começa a mudar.

É o que indica uma pesquisa feita pela empresa PointTopic na Inglaterra.

Há um ano, a pesquisa detectou que 92% dos usuários estavam razoavelmente satisfeitos ou muito satisfeitos com os serviços prestados.

Repetida agora, a Broadband Consumer Survey revelou que aquele índice caiu para 77%.

No mesmo período, a parcela dos razoavelmente insatisfeitos ou muito insatisfeitos dobrou, passando a 9%.

As maiores reclamações são contra a assistência pós-venda. Ou seja, as empresas prometem mundos e fundos e são superatenciosas até conseguirem conquistar o sujeito; depois, adeus.

Imagine quais seriam os resultados de uma pesquisa dessas no Brasil.

Escrito por Rodolfo Lucena às 11h20

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Scott Adams

Scott Adams

Muito além do Dilbert 

Tênis, comida vegetariana, comer em restaurante e gatos de estimação. São esses os principais interesses que Scott Adams, criador do personagem Dilbert, diz ter em seu blog. O site pessoal do cartunista, porém, vai bem além disso.

Com cerca de 35 mil visitas diárias, é nele que Adams dispara opiniões que vão de arqueologia a Britney Spears. Por e-mail, ele conversou com a Folha sobre a atividade que é a sua preferida, embora a que pague menos: blogar.

(A segunda parte da entrevista segue no post abaixo.
Foto: Reprodução)



FOLHA - Quando você começou a blogar?

ADAMS - Comecei em outubro de 2005. Trabalhava em uma companhia chamada United Media, e selecionei um serviço comercial de blogs, o TypePad.


FOLHA - Que outras mídias você usou ou ainda usa para se expressar? Como são em comparação com o que você alcançou blogando?

ADAMS - Eu crio uma tirinha do Dilbert todos os dias. Também escrevi muitos livros e faço palestras públicas. Mas blogar é o que me dá mais liberdade criativa. Não preciso ficar restrito a um tema e não tenho um editor fazer intermediação com os leitores.

Os comentários sobre os meus posts chegam imediatamente e essa é grande parte da diversão. Eu tenho retorno imediato. Do ponto de vista artístico, é o que mais gosto. Mas é também o que paga menos.


FOLHA - Qual é o tráfego do seu blog? Você se importa com isso?

ADAMS - A média é de 35 mil visitas diárias. Já teve picos de até 200 mil acessos em determinados dias, dependendo do assunto. Eu não sei como isso se traduz para pessoas, individualmente. Não administro esse lado técnico do blog.


FOLHA - Você sabe quem é o seu público? São pessoas que você conhece na vida real ou o blog o ajuda a entrar em contato com pessoas novas?

ADAMS - Cerca de 80% da minha audiência é composta por homens inteligentes com senso de humor negro. São um grupo divertido. Não conheço muitos deles pessoalmente, exceto pelo pelos comentários que fazem no meu blog.


FOLHA - Quem ou o que você tenta agradar ou convencer ou argumentar quando bloga? Você vê isso como um tipo de compromisso?

ADAMS - Para mim, é como um laboratório. Tento todos os tipos de assunto, do humor puro ao político, da filosofia à religião. Então eu vejo o que recebe melhor resposta e faço ajustes de acordo com isso. É um processo bastante orgânico.

A minha experiência é que ninguém muda a mente de ninguém por dispor de um argumento melhor. Então, não tento mudar cabeças. Tento apenas engajá-las. Para mim, tudo se resume a fazer com que as pessoas pensem de uma maneira que, de outro modo, não teriam pensado. Meu blog é para pessoas que gostam de pensar de maneiras diferentes.

Escrito por Mariana Barros às 06h18

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Entrevistas | PermalinkPermalink #

Scott Adams

Buscando referências


Nesta segunda e última parte da entrevista, Scott Adams fala sobre o papel dos sites que medem a popularidade de outros sites, ajudando a popularizá-los democraticamente, e sobre o que confere credibilidade a um blog.

 FOLHA - Que tipo de impacto os blogs estão tento na forma como as pessoas se comunicam e trocam informações?

ADAMS - Os blogs por si mesmos não são tão importantes sem a existência dos sites de recomendação de outros sites, como o Reddit.com ou o Digg.com. Usuários coletam e sugerem links para esses sites com o conteúdo que lhes pareceu mais interessante. Então outros usuários votam nos conteúdos para ver quais são os mais populares em um determinado momento.

O resultado é algo que se aproxima da democracia pura em um mercado de opiniões. O melhor e o mais interessante vai para o topo. Você não precisa mais ficar ouvindo as mesmas opiniões. A melhor opinião que você ouve sobre um determinado assunto pode ser de algum blogueiro que tem um ponto de vista completamente diferente. Essa é a grande mudança em relação ao passado.


FOLHA - O que faz com que um blog seja confiável? Você acha que algum dia eles terão a mesma credibilidade de um livro?

ADAMS - Me pergunto isso com freqüência. Não acho que um blog possa ser confiável a menos que publique comentários críticos de seus leitores. Por exemplo, quando faço uma questão em meus posts, os internautas indicam links de sites que se opõem ou que confirmam o que eu disse. Eu aprovo todos esses comentários, mesmo quando me provam factualmente que estou errado. Acho que isso dá credibilidade.

Além disso, digo aos meus leitores que não estou promovendo um ponto de vista; estou promovendo uma forma de pensar, de maneira que eles podem chegar com os pontos de vista deles. Isso automaticamente dá credibilidade porque não é advocacia (meu maior problema é que minha não-advocacia muitas vezes parece advocacia se um ponto de vista é preponderante).


FOLHA - Qual será o futuro dos blogs?

ADAMS - Eu acho que os blogs são permanentemente uma coisa do futuro. Acho que os melhores continuaram a subir para o topo. a grande mudança será que, futuramente, haverá melhorias nos rankings e nas cotações dos blogs, além de melhorias na maneira como os leitores poderão comentar e interagir entre si.

Escrito por Mariana Barros às 06h08

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Entrevistas | PermalinkPermalink #

Três gigantes

No olho do furacão

O blogueiro responsável pelo Tasty Research afirma ser ex-funcionário da Microsoft, do Google e, atualmente, trabalhar no Yahoo!. Na Microsoft, por exemplo, ele teria organizado torneios do videogame Xbox, entre outras tarefas. 

Sobre sua experiência no Google, ele conta algumas das perguntas feitas em entrevistas, como: o que acontece quando alguém clica sobre um anúncio e como detectar uma fraude nos cliques. Do Yahoo!, ele reclama um pouco da burocracia, mas considera ter feito a escolha certa em estar lá.

Ele também fez uma tabela comparando algumas coisas (veja abaixo) nas três empresas. No blog dele, dá para ver a tabela completa, mais detalhes das histórias e até algumas fotos.

Por GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Mariana Barros às 05h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Enquanto isso nos EUA...

O 'milagre' da música digital

A capa da primeira Billboard de março anuncia um milagre para a indústria da música: é on-line, rápido, preciso, transparente e criativo... e também pagou para receber todos esses elogios. Trata-se do serviço Kobalt, que faz o papel de gravadora virtual para bandas e publicou um anúncio que substituiu a primeira página do prestigioso (?) semanário musical dos EUA. Nas internas, pelo menos, há uma matéria (pequena) falando da entrada oficial do BitTorrent no mercado de download de conteúdo legalizado.

Escrito por Juliano Barreto às 00h31

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Canos em ação

Queria mostrar para os leitores um "pipe" bem simples que construí usando o Yahoo! Pipes (leia mais sobre esse programa no caderno Informática de hoje). No "pipe" Cinema, reuni RSSs do Google News e do Yahoo! News com notícias sobre o filme que o usuário escolher.

Eu usei os módulos Text Input:

no qual você coloca no campo "prompt" o que quer que apareça para o usuário.

Usando o módulo URL Builder, você primeiro precisa fazer uma busca qualquer no Google News, por exemplo, clicar no link RSS e copiar a URL da página resultante.

Cole a URL no campo "Base" e o programa vai extrair os "bloquinhos" que compõem a URL. Ache o campo que tem a sua busca e apague.

Meu "pipe" ficou assim:

depois de conectar o módulo Text Input ao "bloquinho" de busca do URL Builder e conectar os módulos URL Builder ao módulo Fetch, que só reúne os resultados das buscas. Para o usuário, o "pipe" fica assim:

Você pode acessar, modificar ou copiar as meus "pipes" aqui, alguns dos quais, infelizmente, não funcionam direito.

PS: demorei para conseguir acertar as imagens, que no começo estavam ilegíveis. Peço desculpas aos leitores

Escrito por Paula Leite às 00h18

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Será que vai chover?

Se você adora mapas e adora previsão do tempo, não pode perder os novos mapas interativos do site do Weather Channel. Acesse no site deles, aqui; coloque o nome da cidade e, na página seguinte, embaixo, do lado direito, haverá um mapinha; clique no botão "Click to interact".

Você pode escolher se quer ver o mapa político ou a imagem de satélite; pode escolher a transparência das nuvens; pode escolher se quer ver as nuvens, as informações do radar ou as duas coisas (se bem que eu desconfio que o site não tem informações do radar para as cidades brasileiras); e pode até ver uma animaçãozinha do movimento das nuvens nas últimas horas.

Como o mapa chega a um zoom razoável (no nível dos bairros de São Paulo), quase dá para ver que tipo de nuvem está bem em cima da sua casa.

Foto: Reprodução do Weather.com 

Escrito por Paula Leite às 17h27

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Blogosfera

Presidenciáveis na mira

O Digg anunciou ontem dois novos tópicos.

Um, na categoria tecnologia, que vai reunir as notícias sobre a Microsoft .

O outro é um tópico temporário, está na categoria World & Business (mundo e negócios) e vai reunir as notícias sobre a eleição presidencial norte-americana (US Elections 2008).

Sem dúvida, os blogs vão ganhar mais exposição com a iniciativa, e os candidatos que tenham esqueletos no armário ou a língua solta devem ter problemas para dormir.

Blogueiros não perdoam, blogam.

Leia mais sobre o Digg e sobre blogs no caderno Informática da Folha de amanhã.

Colaboração de GUSTAVO VILLAS BOAS.

Escrito por Rodolfo Lucena às 16h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Afinal, o que é web 2.0?

Há quem já esteja falando sobre web 2.5 ou até web 3.0, aumentando a impressão de que há uma revolução em curso quando a internet parece caminhar mais para uma evolução natural.

A web 2.0 que se ouve falar por aí nada mais é do que um nome escolhido para referir-se a sites que possuem um certo conjunto de características que já se tornou comum para os internautas que navegam com mais freqüência.

Para ajudar a acabar com seu aspecto mitológico e tentar explicar melhor do que se trata a web 2.0, o fórum SeoRefugee listou quatro fatores que caracterizam um site de web 2.0. Vamos a alguns deles.


Comunidade
Os sites da web 2.0 giram em torno de estabelecer comunidades entre os usuários. Seja em torno do compartilhamento de gostos, da troca de recados e qualquer outro tipo de interação.

Tecnologia
Novas linguagens servem de suporte para uma melhor interação entre os próprios usuários e entre o site e seus usuários. O XML é um exemplo. Por meio do AJAX e do RSS, ajudou a tornar a navegação mais ágil. 

As mudanças na página ocorrem a todo o instante, muitas vezes dispensando a atualização, e há mais opções de personalização, para ajustar o conteúdo ao seu gosto pessoal. Mashups, que é a combinação entre funções de sites diferentes, também se tornam freqüentes.

Arquitetura
As páginas da web 2.0 são mais modulares, ou seja, parecem compostas por uma série de caixinhas, sendo que cada uma delas tem uma função diferente. Isso ajuda a tornar a atualização mais veloz, já que é possível atualizar apenas uma caixa por vez no lugar da página toda.

Aparência
Com aparência clean, esses sites usam tons discretos e costumam ser organizados e simples, ajudando o internauta a encontrar logo o conteúdo que procura.

O Gmail e o Digg estão entre os exemplos da web 2.0. Qual o seu?

Escrito por Mariana Barros às 15h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Enquanto isso nos EUA...

Enquanto isso nos EUA...

Holofotes para God of War II

Nada de PS3, Wii ou Xbox 360, o jogo mais legal da temporada ainda é do PlayStation 2. Basta ligar a TV aqui nos EUA ou passar em uma loja de jogos para se deparar com a megacampanha de lançamento de God of War II. O toque curioso fica para o slogan do comercial do violento épico: O fim começou. Soa como um anúncio oficial da Sony avisando que do mato do PS2 não sairá mais nenhum coelho...

Escrito por Juliano Barreto às 11h51

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Consumo | PermalinkPermalink #

Apple

Contagem regressiva

No intervalo da transmissão da cerimônia do Oscar nos Estados Unidos, ontem, a Apple veiculou o primeiro comercial do iPhone. Um pouco cedo, parece, já que o aparelho só chega (por lá) em junho.

Quando Steve Jobs anunciou o iPhone, falou-se muito de como a Apple não tem costume de anunciar produtos que ainda não estão disponíveis. Geralmente, eles mostram o produto pela primeira vez e ele já está nas lojas no dia seguinte.

Mas, pelo jeito, a estratégia com o iPhone será diferente. Parece que a Apple quer aproveitar ao máximo o "hype" em torno do celular-iPod-computador de bolso que promete revolucionar tudo e todos.

Voltando ao comercial: achei bonitinho, até. Assista e dê sua opinião:

Escrito por Paula Leite às 18h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vídeo

Criatura contra criador

Assista ao clipe em que uma animação virtual ganha vida e se rebela contra seu designer, levando caos à área de trabalho do computador.

Por GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Mariana Barros às 11h24

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Gates ou Jobs?

Quem rende mais?

O site BuzzDash permite a criação de enquetes sobre o mundo dos negócios em diversas áreas como artes, esportes e tecnologias, que podem ser enviadas para os amigos ou colocadas em um blog.

Também há questões em áreas como entretenimento e as sempre complicadas relações humanas.

Para os informatas e administradores, uma enquete busca saber quem seria o CEO mais procurado...

Confira AQUI. Se desejar, mande comentário com sua opinião.

 

Colaboração Gustavo Villas Boas

Escrito por Rodolfo Lucena às 10h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Robôs sensíveis

São tantas emoções

Dois milhões e meio de euros foram destinados pela Comissão Européia a um projeto para criar robôs capazes de compreender os sentimentos humanos e reagir adequadamente a eles.

Trata-se do projeto Feelix Growing, que tem prazo até 2010 para investir esse dinheiro. Feelix é uma palavra inventada, que combina "sentir", "interagir" e "expressar-se".

O projeto envolve seis países, 25 roboticistas (cientistas de robôs), neurocientistas e psicólogos.

A coordenadora Lola Canamero diz: "Estamos interessados principalmente em programar e desenvolver capacidades comportamentais nos robôs, especialmente capacidades de interação social e emocional".

Escrito por Rodolfo Lucena às 10h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cinema

Oscar pirata divulga vencedores

                            

Ontem, antes da cerimônia oficial das estatuetas douradas começar, a equipe do site OscarTorrents divulgou o resultado da sua votação popular. Scorsese e "Os Infiltrados" foram o melhor diretor e o melhor filme, segundo os 133.378 pirateiros-eleitores, respectivamente. No comunicado da equipe do OscarTorrents mais provocações para a indústria do cinema. "Esperamos não precisar fazer tudo isso no ano que vem".

Escrito por Juliano Barreto às 08h56

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Games

Menos compatível

A Sony anunciou que o PlayStation 3 a ser lançado na Europa terá compatibilidade com menos jogos do PS2 do que os modelos lançados no Japão e nos Estados Unidos. Além disso, o console só chega por lá em 23 de março.

Os PS3 japoneses e americanos, segundo a fabricante, rodam 98% dos jogos de PS2.

Vale lembrar que o Xbox 360 também não é totalmente compatível com jogos do Xbox original; segundo a Microsoft, são mais de 200 jogos compatíveis e a lista cresce conforme a empresa atualiza o software.

Já o Nintendo Wii roda todos os jogos do GameCube, diz a fabricante; mas é necessário jogar com um controle do GameCube, pois o Wii Remote não é compatível.

Foto: Divulgação

Escrito por Paula Leite às 15h30

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Wikipédia banida

Depois que vários alunos cometeram o mesmo erro factual em uma prova por causa de uma informação incorreta que haviam lido na Wikipédia, o departamento de História do Middlebury College, nos EUA, decidiu que a enciclopédia on-line não poderia mais ser citada como fonte em trabalhos.

Vale lembrar que, em estudo comparativo entre a Wikipédia e a "Britannica", publicado na revista "Nature" no final de 2005, a Wikipédia obteve uma média de 4 erros por verbete, ante 3 da "Britannica", diferença bem pequena.

A decisão do Middlebury College pode ter sido um pouco preconceituosa com a Wikipédia (já que, ao que consta, eles não baniram a "Britannica"), mas fica a lição: desconfie sempre, não só da Wikipédia, mas de qualquer fonte, e não baseie suas afirmações em um trabalho de faculdade no que diz um só livro ou site.

Foto: reprodução do verbete sobre o Middlebury College na Wikipédia

Escrito por Paula Leite às 13h44

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sátira

Lados da força

A briga entre os PCs de Bill Gates e os Macs de Steve Jobs parece estar mais animada do que nunca -- literalmente. Os bam-bam-bãns da Microsoft e da Apple se enfrentam até com sabre-de-luz na animação Gates vs. Jobs, publicada no YouTube e divulgada pelo BlueBus.

Escrito por Mariana Barros às 17h44

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

É ou não é?

Modelo 3D causa polêmica

A imagem acima mostra a atriz asiática Song Hye Kyo. O detalhe é: essa é a versão em 3D da moça. Publicada no fórum CGTalk, a Kyo virtual está causando polêmica, afinal o designer Max Edwin Wahyudi realmente desenhou, pixel a pixel, a atriz ou não. Veja a versão de carne, osso e maquiagem da moça e, depois, dê o seu palpite.

Escrito por Juliano Barreto às 11h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Carros

Confie na placa

O sonho das pessoas sem senso de direção (como eu) é ter um navegador GPS no carro para indicar o caminho a qualquer lugar. Esses mesmos navegadores, porém, estão causando problemas em uma cidade na Inglaterra.

Uma rua na cidadezinha de Exton tem cerca de dois metros de largura no ponto mais estreito. E veículos mais largos do que isso constantemente entalavam no local, até que se descobriu o culpado: os sistemas de navegação, que diziam aos motoristas para pegar a rua.

A solução foi instalar uma placa que diz "Proibidos veículos largos. Não siga o navegador GPS. Rua muito estreita" (em uma tradução livre). Veja a foto da placa aqui.

Escrito por Paula Leite às 18h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Doce lar

Google abre novo escritório em NY

A empresa abriu as portas de seu novo Googleplex, em Nova York. A exemplo das unidades da Califórnia e de São Paulo, o escritório é repleto de doces, patinetes e poltronas macias. O Googleplex East, porém, tem função estratégica para a companhia, que tem como maior fonte de renda a venda de anúncios on-line. Veja outras fotos.

Escrito por Juliano Barreto às 13h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Windows Vista

Nos nervos

A revista "PC World" resolveu provocar Bill Gates com vara curta e publicou uma lista das coisas mais irritantes do Windows Vista, o novo sistema operacional da Microsoft.

A reportagem, em inglês, pode ser lida na íntegra aqui.
Abaixo, seguem cinco críticas dessa seleção de implicâncias.


1) Versão Home Basic, esqueça
A mais barata das edições do Vista não oferece a interface aero, e isso é o mesmo do que não ter o sistema.


2) AH! Minha tela ficou preta!
A Microsoft caprichou tanto no design do Vista para fazer com que os alertas de segurança fossem um apagão no monitor?


3) O upgrade
Quem for instalar o CD de upgrade precisa, antes disso, instalar ou ter instalado o Windows XP.


4) Quem mexeu nas minhas coisas?
A nova arrumação que a Microsoft fez não tornou as coisas necessariamente mais fáceis de serem encontradas.


5) Alimentador anoréxico
A ferramenta que reúne as novidades publicadas na internet oferece poucas possibilidades de personalização, amarrando o usuário.

Escrito por Mariana Barros às 18h12

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Celular

Alô turbinado

E a lista de tarefas que um celular consegue executar não pára de crescer. A empresa alemã Waleli anunciou um aparelho capaz de receber comandos de um celular para abrir portas.

Batizado de GSM Doorbell, ele começará a ser vendido na Europa e permitirá que pequenos empresários e familiares possam destrancar portas de escritórios e casas à distância para clientes, funcionários, sócios ou companheiros de teto.

A novidade vem na torrente dos lançamentos de celulares deste mês --a maioria  apresentada durante o 3GSM Congress, realizado na semana passada, em Barcelona.

A edição de amanhã do caderno de Informática trará informações sobre o evento e sobre o que mais a indústria de celulares está reservando para os próximos meses.

Escrito por Mariana Barros às 17h40

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Que LCD?

Olho na telinha!



A rainha da bateria da Império Serrano, Quitéria Chagas, usou uma telinha LCD por cima de seu tapa-sexo. Quase ninguém prestou atenção. Por que será?


FOTO ROGÉRIO CASSIMIRO/FOLHA IMAGEM

Escrito por Juliano Barreto às 14h26

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Esporte e mídia

Chelsea faz parceria com YouTube

O time londrino, que virou uma superpotência da bola graças a investidores russos, anunciou acordo com o portal de vídeos: publicará conteúdo como partidas históricas, jogadas de seus craques e gols. Os valores da negociação não foram divulgados. O Chelsea, atual vice-líder do Campeonato Inglês, é o primeiro clube a fazer tal acordo. Será que a moda pega?

Escrito por Juliano Barreto às 16h55

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Em perigo?

O modelo de negócios da Wikipédia está dando o que falar. Primeiro, foi a presidente do conselho da Fundação Wikimedia, Florence Nibart-Devouard, que disse que, quando o dinheiro disponível acabasse, daqui a três ou quatro meses, a enciclopédia poderia "desaparecer".

Parece que não é bem assim, mas o comentário suscitou a discussão sobre se é possível manter a Wikipédia sem anúncios. O fundador Jimmy Wales disse que confia no modelo atual e que a enciclopédia deve continuar pedindo doações. Por enquanto, parece que o site continuará sem propaganda.

 

Escrito por Paula Leite às 20h04

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Windows Vista

Microsoft libera DreamScene

Quem comprou o Windows Vista Ultimate Edition pode baixar de graça a versão beta do pacote "Ultimate Extra", que adiciona recursos especiais ao novo sistema operacional. Entre as funções oferecidas, está a possibilidade de colocar vídeos no papel de parede do Desktop. Veja mais detalhes no site do Vista Ultimate.

Escrito por Juliano Barreto às 19h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Novo Mundo

TI gasta tanto quanto TV

Um estudo norte-americano suportado pela AMD revelou, hoje, que os Data Center (servidores de tecnologia da informação, infraestrututa de redes etc.) e as respectivas estruturas que os sustentam (sistemas de refrigeração, iluminação etc.) foram responsávei por 1,2% da energia elétrica consumida nos EUA em 2005. Segundo a pesquisa do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, esse número dobrou entre 2000 e 2005 e hoje equivale ao consumo das televisões norte-americanas. O estudo pode ser acessado aqui.

Por GUSTAVO VILLAS BOAS

 

Escrito por Juliano Barreto às 14h40

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hardware

Notebook ganha tela extra

O ASUS W5fe SideShow tem uma tela de 2.8 polegadas na parte superior da sua tampa. Junto do LCD, botões ajudam o usuário a controlar o Media Player e, assim, usar o notebook como um tocador portátil. Embora compacto,  sua tela principal tem 12 polegadas, o modelo possui configurações generosas: disco rígido de 160 Gbytes e mais de 1 Gbyte de memória.

Escrito por Juliano Barreto às 18h49

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Gmail

Último ato?

O Gmail está aberto para todo o mundo. Parece repeteco, mas não é. O fato é que, como a BBC noticiou, alguns blogueiros comentaram e os leitores deste blog perceberam, o Google deu informações e condições desencontradas para quem quissesse assinar o Gmail sem convite -- algumas pessoas conseguiram a conta sem problemas. enquanto outras caíam em páginas que exigiam o convite.

Agora, parece que o problema  chegou ao fim, já que
o anúncio está no blog do Google . O Google Operating System, um bom blog não-oficial sobre o Google, até colocou no ar uma tela capturada em 2 de fevereiro pelo cache do Yahoo! que mostra uma das idas no vai-e-vem promovido pela empresa.

Quem acompanhou o teatro vai gostar do enredo e do (suposto) final, uma divertida peça com marionetes que mostram as vantagens do Gmail, apresentado no vídeo que segue abaixo:


Por GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Mariana Barros às 14h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

(re)Evolução

Foi tudo muito rápido, vapt-vupt e o texto no papel deu lugar ao texto digital, que reina cada vez mais soberano. Essa evolução dos meios de comunicação virou objeto de estudo de pesquisadores como Michael Wesch, da Universidade do Kansas, que se debruçou sobre as interferências da internet no campo da antropologia. O resultado é esse vídeo acima, que mostra o lápis e a folha sulfite como os avós da Web 2.0.

Escrito por Mariana Barros às 13h40

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hardware

Overclocking à moda do Tom

Nos últimos tempos, o portal Tom's Hardware cresceu muito e perdeu um pouco da ousadia que o tornou famoso. Nesta semana, porém, a equipe do site resolveu voltar às origens e publicou um superguia de overclocking. Confira o que um pouco de nitrogênio pode fazer a um PC com peças aceleradas ao extremo.

Escrito por Juliano Barreto às 12h59

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vídeo

Um YouTube só meu

A Viacom, dona da MTV dos EUA e do canal Comedy Central, entre outros, decidiu deixar os internautas assistirem trechos de programas de seus canais. Os usuários também poderão colocar os vídeos em seus próprios sites e blogs. Só que não pelo YouTube.

Depois de pedir que o YouTube tirasse do ar 100 mil clipes dos quais é dona dos direitos, a Viacom decidiu fazer seu próprio site de vídeos. Com shows populares nos EUA como "The Colbert Report", a empresa está contando que os usuários virão a ela em vez de ir ao YouTube. O problema para a Viacom vai ser continuar monitorando o YouTube para tirar todos os vídeos dela do ar.

Escrito por Paula Leite às 00h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Second Life

É a sua vida, sinto muito

O Second Life se tornou tamanha febre que já virou até alvo de protestos. Uma das manifestações mais bem-humoradas é o site Get a First Life, que convida os internautas a viverem melhor as suas vidas reais em vez de gastarem tanto tempo no jogo de simulação.

O Slogan "Este é o seu mundo, sinto muito por isso" vem acompanhado de frases como "Namore usando o seu próprio corpo" e "Passeie pelo lugar onde você realmente mora". A maioria dos links é falsa, já que a idéia é fazer com que o internauta vá viver a própria vida em vez de ficar navegando.

Um dos únicos links que funciona é o da loja, que vende camisetas, lingeries e outros objetos estampados com o logotipo e frases do site. A camiseta acima, disponível em oito cores, sai por US$ 21,99.

Escrito por Mariana Barros às 17h56

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Second Life

Turista avatar

Quem já participa do Second Life pode levar seu avatar --personagem virtual-- para dar uma voltinha pelo jogo. A Folha selecionou alguns lugares que valem a pena ser visitados, como as paisagens nevadas de Wegen (acima), onde é possível sentir o clima de um resort e descer montanha abaixo em um snowboard. Clique nos links para cair em uma página que permite o teletransporte e boa viagem.


Dark Life - Entre em um mundo no estilo Everquest


Acc Cars - Acelere com muitos carros prontos para um test-drive


Amsterdã - Veja prédios que remetem a arquitetura da cidade holandesa e confira as famosas vitrines com garotas


Samurai Island - Trave combates e viva a tradição samurai nessa ilha


Virtual Hallucinations - Envolva-se em um experimento que simula alucinações


Spaceport Alpha -  caminhe entre reproduções de foguetes ou veja os céus em um planetário


Por GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Mariana Barros às 16h24

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Conforto

Mousepad de respeito

Os descansos para mouse estão fora de moda, quase em extinção. Mas a Busty Mousepads encontrou um jeito de chamar a atenção dos usuários.

Escrito por Juliano Barreto às 14h33

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jogos

Jogos

Vida Social

Francis Chang já participou de pesquisas acadêmicas sobre Second Life e escreveu sobre sua experiência no jogo aqui.

Chang é doutorando da Universidade Estadual de Portland (EUA) e já colaborou com pesquisadores da Universidade Stanford em estudos sobre jogos on-line, como este (em PDF, em inglês) sobre Second Life.

Ele falou ao blog sobre as principais diferenças de Second Life com relação a outros jogos on-line e porque ele atrai tanta gente. Para saber mais sobre Chang, veja o site dele, aqui.

FOLHA - Você acha que há uma diferença entre as pessoas que jogam Second Life e as que jogam outros jogos on-line? Como você explica o sucesso de um jogo que não tem um fim definido?

CHANG - Sim, existe uma diferença significativa entre os jogadores normais de MMORPGs [jogos on-line massivos] e os jogadores de Second Life. As pessoas que jogam Second Life não são necessariamente, mesmo geralmente, jogadores. Isso é puramente anedotal, digo pela minha própria experiência, e não por observação empírica.

As pessoas que jogam MMORPGs estão procurando entretenimento - um objetivo, conseguir algo no jogo, esse tipo de coisa.

Second Life não tem objetivos -  é um lugar (como a vida) em que você faz dele o que desejar.

Existem muitas outras razões para estar no Second Life. Vou listar algumas delas.

Para algumas pessoas, é um espaço social. Para conhecer pessoas, conversar com os amigos. Não são necessárias distrações arbitrárias como ir em busca de algo ou matar um monstro.

Também é uma vida de fantasia. Donas-de-casa constroem sua casa dos sonhos, sentem que têm vinte anos de novo. Os produtos para mulheres sempre foram um dos setores mais lucrativos no Second Life por uma razão!

Outra coisa é que me dizem que Second Life é o que há de mais avançado em espaços multijogadores adultos. Dizem que os jeitos mais fáceis de ganhar dinheiro em Second Life são com produtos para mulheres e com sexo.

Second Life também é atrativo para muitas pessoas criativas, que querem se expressar artisticamente.

"Nerds" que não se interessam por games também são atraídos pela idéia de um espaço imersivo, programável e em 3D.

Para algumas pessoas, Second Life é um negócio, um hobby ou até um emprego principal.

Além disso, a comunidade "furry" [pessoas que gostam de se vestir como animais e interagir com outras vestidas da mesma forma] floresce em Second Life. Algumas pessoas têm fantasias de serem animais antropomórficos. Second Life é provavelmente um dos poucos lugares em que isso pode ser expressado em um contexto socialmente aceitável. Pessoas da Linden Lab me disseram que a comunidade "furry" tem sido a que cresce mais rapidamente no jogo.

Há também pessoas com deficiências que gostam de Second Life, porque podem interagir com outras pessoas como uma pessoa normal. Existem até mesmo esforços de usar Second Life como uma forma ou meio para terapia.

Finalmente, há também as pessoas entediadas em geral. Talvez elas não tenham muito entretenimento, talvez elas não tenham muito dinheiro para gastar com isso, ou estão desempregadas etc. Já me disseram que, no geral, as pessoas que vivem em áreas metropolitanas [dos EUA] têm chance menor de estar em Second Life do que aquelas que vivem em áreas rurais.

A Linden Lab gosta de dizer que, entre as pessoas que jogam Second Life, a relação entre homens e mulheres é de 50% para 50%, diferentemente de outros jogos on-line [em que há mais jogadores homens]. Mas eu não tenho idéia de onde eles tiram essas estatísticas, então sempre desconfio um pouco.

Crédito da foto: Reprodução de foto de Francis Chang, publicada no site dele

Escrito por Paula Leite às 23h17

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Entrevistas | PermalinkPermalink #

Jogos

Jogos

Vida Social 2

Leia a continuação da entrevista com Francis Chang.

FOLHA - Quais são as principais diferenças, tanto técnicas quanto sociais [dentro do jogo] entre Second Life e outros jogos?

CHANG - O mais importante é que Second Life tem uma forma livre. Os usuários criam a experiência. Todas as coisas que você vê, os usuários que inventaram, para o propósito que eles possam imaginar.
 
Realmente é como se fosse um MySpace em 3D. Compare isso com jogos como World of Warcraft ou City of Heroes - o jogador essencialmente está pagando uma empresa para criar a experiência para ele.

A maior fraqueza do Second Life também é sua maior força. O desenvolvimento de conteúdo é acessível, então geralmente não é desenvolvido em um nível profissional. A necessidade de Second Life de ser dinâmico força uma limitação, já que o jogo não pode ser tão sofisticado quanto outros jogos. Ao lado de outros jogos modernos, Second Life parece datado e primitivo.

FOLHA - Um dos estudos acadêmicos do qual você participou descobriu que normas sociais não verbais, como a distância entre as pessoas ao conversar, estão presentes em Second Life. Você acha que essa é uma característica especial de Second Life porque é um jogo mais similar à vida real ou também acontece em outros jogos?

CHANG - Não acho que é uma característica especial do Second Life, mas acho que é mais prevalente nesse jogo.

Em Second Life existe essa idéia de um avatar customizado, com poucas restrições a como você se apresenta. Acho que isso faz as pessoas se identificarem mais com seus avatares, que podem parecer com as pessoas na vida real ou ser a pessoa que ela gostaria de ser na vida real, ou alguma outra coisa com a qual a pessoa se identifica. Então há um sentido maior de identidade pessoal.

Isso é diferente de outros jogos on-line em que há mais restrições a como seu avatar pode ser. Imagine um cara andando por World of Warcraft de conjunto de moletom - não funciona.

Os avatares em outros jogos são escolhidos por razões completamente não relacionadas à aparência - por exemplo, você pode escolher ser um elfo por causa das habilidades mágicas especiais que aquela classe de personagens te dá no jogo.

Os avatares em Second Life são escolhidos e criados somente com base na aparência desejada.

FOLHA - Existem características técnicas que fazem de Second Life mais atrativo que outros jogos?

CHANG - Existem várias. Pra começar, é de graça. Qualquer pessoa com uma conexão rápida à internet e um computador rápido o suficiente pode experimentar. Não é necessário um cartão de crédito ou ir a uma loja.

Além disso, Second Life é adaptável aos seus desejos. Permite que você crie. Second Life preenche um nicho que, hoje, nenhum jogo on-line preenche.

FOLHA - O que você acha do "hype" em torno de Second Life? Por que as pessoas parecem prestar mais atenção em Second Life do que em outros jogos on-line? Você acha que Second Life continuará atraindo jogadores ou a moda passará logo?

CHANG - Eu provavelmente sou a última pessoa para falar de "hype". Eu vejo muito do que as pessoas falam e acho que é tudo besteira. Eu tenho uma superstição de que "hype" é o que as pessoas de marketing vendem umas às outras.

Eu acho que Second Life é interessante para as pessoas, porque é a primeira apresentação popular de um metaverso. Eu acho que Second Life continuará crescendo no futuro próximo, mais ou menos como o Linux tem crescido.

O Linux tem, de forma lenta, avançado, evoluído, melhorado, ganhado mais apoio desde os anos 1980. Em 1999, todo mundo começou a ficar louco por tudo que tinha a ver com Linux. Mas ele ainda não estava pronto para ser o sistema operacional que todo mundo queria - ele não podia ser tudo para todos. Então o "hype" diminuiu. Mas o Linux nunca dependeu disso. Ele preence uma necessidade - então continua crescendo e evoluindo.

O Linux pode nunca se tornar "mainstream", mas acho que vai continuar crescendo e tendo sucesso.

Eu acho que Second Life vai ser assim. O que eu não tenho certeza no momento é sobre como Second Life vai ser afetado pela competição. No momento, não há muitos competidores viáveis, mas eu ouço falar que as pessoas estão começando a construir outros espaços do tipo metaverso.

Escrito por Paula Leite às 23h11

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Entrevistas | PermalinkPermalink #

A nova internet




Marco Mugnatto, 33 anos, é analista de sistemas sênior. Há cerca de um mês, ele entrou em Second Life para casar dois de seus interesses: nova tecnologias e fotografia. Mugnatto montou uma galeria de fotos  virtuais (acima; visite aqui -- você precisa ter um avatar em Second Life).

O local é frequentado por brasileiros, mas Mugnatto já cruzou com franceses por lá, por exemplo. Para ajudar a custear a instalação, ele colocou com pote em frente ao prédio, que recebe contribuições voluntárias. Confira abaixo a entrevista concedida por ele, por e-mail, à Folha.


FOLHA - Qual o nome do seu avatar?

MUGNATTO - MarcoMugnatto March. É uma raridade alguém pôr o nome verdadeiro no nome do avatar. Além disso, eu procurei criar o meu avatar à minha imagem e semelhança.

FOLHA - Quando conheceu Second Life e quando decidiu entrar no jogo?

MUGNATTO - Eu já conhecia algo semelhante ao Second Life desde 1996. Havia o Online Traveler, que tinha até conversa por voz, recurso que em breve deverá aparecer também no Second Life, segundo a Linden Lab.

Esses pioneiros não tiveram
muito sucesso provavelmente porque estavam muito à frente do tempo deles. O Second Life é o início da concretização da realidade virtual tal qual prometida já há décadas, até pelos filmes de ficção científica.

Embora eu já
tivesse ouvido falar do Second Life há mais tempo, só comecei a participar duas semanas atrás. Ah! E Second Life não é um jogo! Pode escrever: Second Life é pelo menos uma boa parte do futuro da computação em geral.

FOLHA - Quais foram os desafios e o que deu certo?

MUGNATTO - O primeiro desafio com que você se depara no Second Life é o de descobrir o que ele é de fato. Até que ponto ele vai. A primeira impressão que as pessoas costumam ter é a de que se trata apenas de um bate-papo em 3D ou de um jogo.

Leva
um tempinho e algumas sessões de Second Life para você perceber que há algo mais ali. Passada essa fase, você começa a sentir falta de dinheiro na moeda local, o linden.

Mas começar do zero é muito difícil, então você acaba comprando
alguns lindens diretamente pela Linden Lab, pagando em dólares de verdade.

talvez você monte uma loja virtual que facilite a obtenção de mais dinheiro, mas acho que ainda é muito cedo para se ter lucro de verdade no Second Life. Num futuro próximo, porém, é promissor.

FOLHA - Você sabe quantas pessoas passam por sua galeria por dia? É uma boa forma de divulgar o trabalho?

MUGNATTO - Para falar a verdade não tenho idéia, não, mas diria que em apenas umas 30% das minhas visitas rotineiras eu encontro algum gato pingado por lá. 

Certamente a coisa tem crescido.
Acho que é uma forma divertidíssima de expor meu trabalho com fotografia. É diferente de expor na internet tradicional, pois é como se fosse realmente uma exposição pública física.

As pessoas aparecem e conversam comigo sobre as fotos enquanto
as apreciam. Uma experiência colaborativa que não tem igual na internet.

FOLHA - Que conselhos dá para quem quer empreender no jogo?

MUGNATTO - Não espere, por enquanto, nada mais do que se divertir. Ainda não dá pra lucrar de verdade no Second Life.

FOLHA - O que mais te surpreende em Second Life? O que mais gosta de fazer, além de cuidar do seu negócio?

MUGNATTO - Como eu disse, sou vidrado em tecnologia, e o Second Life caiu como uma luva pra mim. Sempre gostei da idéia de realidade virtual, de multiplayer, dos gráficos. 

Na época em que nem havia Internet, eu adorava um jogo que também não era exatamente um jogo, o Flight Simulator, em que você decola com o avião, voa e depois pousa, sem combates aéreos nem nada do gênero. 

No Second Life, isso é multiplicado exponencialmente e irá muito além do que muitos imaginam. Quem hoje tiver preconceito com o Second Life amanhã terá que correr para não ser deixado para trás.

Só de imaginar que ali as lojas não ocupam espaço físico, que é um grande problema nas grandes cidades de hoje, que há uma moeda local que torna bem mais fáceis as transações, que é a interface mais intuitiva que o computador já teve, bem mais que o desktop gráfico que usamos no Windows, tenho 99,9 % de certeza de que essa idéia será abraçada pelo mundo inteiro, da mesma forma que a World Wide Web foi em 1995.

Escrito por Mariana Barros às 23h00

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Game

Ensaio geral

Imagine ter uma segunda chance para fazer tudo o que você ainda não fez. Parece utopia, mas quem joga Second Life tem. O jogo simula o mundo real e permite que os usuários assumam alter-egos virtuais e saiam pelo game namorando, passeando e até ganhando dinheiro. 

O sucesso dessa realidade paralela, que já conta com mais de 3,4 milhões de habitantes, é o tema do caderno de Informática de amanhã. Aqui no blog teremos materiais exclusivos sobre o jogo, com entrevistas, fotos e dicas de lugares a serem visitados por quem já está por lá.

Para aquecer, vão aqui algumas fotos de uma galeria de cebridades que ganharam a sua versão digital no Second Life (a coletânea é do blog da revista "Wired"). Amanhã tem mais.

Uma das primeiras bandas a se apresentar no jogo, o Duran Duran teve o visual do jogo criado por profissionais 

A cantora Suzanne Vega também integra o grupo de artistas pioneiros a se fazer show no Second Life 

O U2 tem uma banda cover que já fez festas e shows (confira acima) para os avatares do game; a semelhança com o grupo real impressiona, na aparência e até nos trejeitos

A atriz Mia Farrow também ganhou versão virtual, que já fez até discurso político no game

Escrito por Mariana Barros às 18h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ao infinito e além

Firefox: 300 milhões de vezes

Desde o seu lançamento oficial, em 9 de novembro de 2004, o navegador gratuito já foi baixado 300 milhões de vezes. A marca acaba de ser anunciada pela Mozilla Foundation, que calculou uma média de 363,636 downloads do programa por dia.

Escrito por Juliano Barreto às 15h29

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Campanha

Site brasileiro ajuda Wikipédia

O BR-Linux, tradicional e pioneiro portal de Linux nacional, está pedindo ajuda para a Wikipédia. A idéia é divulgar ao máximo a situação da enciclopédia on-line, que anda com dificuldades para manter-se independente e sem a ajuda de anunciantes. Quem ajudar, pode ganhar um pendrive do BR-Linux. Veja mais detalhes clicando aqui.

 

Escrito por Juliano Barreto às 14h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Fim da linha

Yahoo! engole Flickr de vez

Quem é usuário antigo (ou Old Skool, como o próprio Flickr denomina) do fotolog precisará de uma conta do Yahoo! para continuar a acessar suas fotos. No início da fusão, iniciada com a compra do álbum virtual pelo portal, os administradores do Flickr garantiram que as contas antigas seriam mantidas. Agora, a empresa diz que é necessário ser cadastrado no Yahoo! para poder desfrutar das novas funções do site. A mudança, que deve ser feita até 15 de março, é obrigatória.

Escrito por Juliano Barreto às 13h49

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

E-mail

Diz que diz que

Alguns leitores estão tendo dúvidas quanto à liberação do Gmail, que passou a dispensar convites. Bom, as dúvidas não são à toa.

Blogs especializados dão conta de que seria preciso fazer uma confirmação via celular para tornar o serviço irrestrito.

Além disso, os links que conduzem ao correio liberado estão instáveis, e há informações desencontradas no site do Google sobre a oferta de versões em inglês e em português que não exijam convite .

Apesar de o Gmail dispor de versão em português, inicialmente apenas a edição em inglês teria sido isenta de convite. Agora, a edição em português também já pode ser acessada por quem não foi convidado.

É preciso ressaltar, no entanto, que quem quiser se lançar na empreitada deve estar preparado para enfrentar possíveis percalços, como só encontrar páginas em inglês ou não conseguir se cadastrar sem o tal convite. De qualquer maneira, a aventura pode começar por AQUI.

Escrito por Mariana Barros às 17h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Blog não é propaganda

Há alguns dias, escrevi sobre os blogs falsos feitos pela Sony, Wal-Mart e McDonald's, em que marqueteiros pagos pelas empresas fingiam ser pessoas comuns. Pois é; no Reino Unido, em breve isso será crime.

Segundo matéria do Times Online, a partir de 31 dezembro deste ano empresas fingindo ser consumidores em comentários de blogs ou que criarem sites inteiros podem ser processadas e terem seus nomes divulgados publicamente.

A nova lei vale também para escritores que escrevem resenhas elogiosas de seus próprios livros em sites como a Amazon, fingindo serem leitores comuns. 

Escrito por Paula Leite às 16h56

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Herdeiro

Sucessor do Vista no forno


Já começaram as especulações em torno do novo "novo Windows", que está sendo chamado de Windows 7 e de Vienna. Analistas que acompanham a Microsoft ventilam a notícia de que os executivos da empresa têm até um prazo de entrega: o início de 2009. O vice-presidente da divisão de desenvolvimento do sistema operacional, Ben Fathi, pôs mais lenha na fogueira. Disse que de dois em dois anos, a empresa deverá lançar novas versões do Windows.

Escrito por Juliano Barreto às 16h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Games

Quase tabuleiro

Saudosistas do tempo do Atari podem relembrar os velhos tempos na seleção preparada pelo site Game Daily com os melhores jogos eletrônicos retrôs da história. A página traz fotos e links para jogá-los.

Escrito por Mariana Barros às 15h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Música

Por mim...


Foto Rodrigo Paiva/Folha Imagem


Hoje o DJ inglês Fatboy Slim fez uma apresentação no mundo on-line Second Life, durante sua visita ao Brasil, onde faz uma pequena turnê. Em conversa com jornalistas antes do evento virtual, perguntei ao simpático músico, que toca logo mais em São Paulo, o que ele achava da troca de músicas via internet.

"Quando eu era criança, eu pegava música do rádio", disse ele, que elogiou a revolução que a internet levou ao mercado fonográfico. Fatboy ainda afirmou que é muito bom que a música esteja acessível para todo mundo. "Se um pouco de gente souber como pegar essa música de graça, eu não me importo muito." E  repetiu: "eu fazia isso quando criança."

Um membro da equipe de Fatboy aconselhou que a representante de sua gravadora no Brasil, a Sony BMG, entrasse na conversa. Foi a chave para o DJ lembrar (e ele pareceu sincero) que quando era garoto, se ele realmente gostasse de uma música que pegou no rádio, ele ia à loja e comprava o disco.

Saiba mais sobre a apresentação do DJ no Second Life no caderno "Informática" da próxima quarta-feira.

Colaboração de GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Mariana Barros às 19h29

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Música

Empurra-empurra

Muitos blogs e sites celebraram a carta de Steve Jobs, da Apple, comentada anteontem neste blog, em que ele conclamava a indústria fonográfica a abolir o DRM, chave que limita a troca de músicas digitais, vendidas no iTunes, por exemplo.

Faltou dizer que o iHomem é parte interessadíssima: sofre uma séria pressão por parte dos consumidores europeus contra sua loja virtual iTunes que vende música com DRM.

Primeiro, foi uma associação de consumidores noruegueses que moveu uma ação contra as restrições de troca de músicas compradas na loja da Apple, que só podem tocar em PCs ou nos iPods.

A coisa cresceu quando, recentemente, entidades similares da França e da Alemanha _dois mercados gigantes_ encamparam a ação.

Torgeir Waterhouse, um representante do conselho de consumidores noruegueses, tem uma declaração reproduzida no InfoWorld que mostra que, para os europeus, os bons argumentos de Jobs não superam o fato de que sua loja troca as pratas das pessoas por música com cabresto.

"Eles continuam sendo a empresa que está vendendo música para os consumidores e são responsáveis por oferecer um acordo justo conforme a lei norueguesa."

Colaboração de GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Mariana Barros às 17h05

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Web 2.0

Fácil, fácil

O Yahoo! lançou hoje o Yahoo! Pipes, uma interface visual para criar sites "mashup" mais facilmente. Um "mashup" combina dados de dois sites diferentes para criar uma terceira coisa, geralmente usando como fontes de informação feeds em RSS ou Atom.

Exemplo: o HousingMaps, site dos EUA que combina as listagens do site de classificados Craigslist com os mapas do GoogleMaps e foi um dos primeiros "mashups" famosos. Assim, você vê um mapinha da cidade com os imóveis à venda ou para alugar destacados.

O Yahoo! Pipes, ainda em fase de testes, está fora do ar por sobrecarga, mas quando voltar podemos avaliar se é fácil mesmo criar um site "mashup" interessante.

Foto: Reprodução do logo do Yahoo! Pipes

Escrito por Paula Leite às 18h27

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Coisa de legisladores

Prendam o poste

Um projeto de lei quer proibir o uso de tocadores de MP3, celulares e outros eletrônicos enquanto se atravessa as ruas de Nova York. A multa para quem desobedecer: US$100.

Motivado por três atropelamentos que resultaram em mortes na cidade, supostamente por causa da distração causada pelos toca-MP3, Carl Kruger, senador do Estado de Nova York, propôs a lei que bane o uso dos gadgets pelos pedestres, e que deve ser analisada em breve.

Mesmo que não consiga a proibição, Kruger ganhou o que quer para o cidadão: atenção. Pelo menos, de blogs e sites norte-americanos, que, quase unanimamente, ironizam a iniciativa.

Escrito por Rodolfo Lucena às 15h45

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Música digital

Sem cadeado

O chefão da Apple soltou hoje uma nota em que trata do cenário atual de trocas de música digital e das perspectivas para o futuro.

O foco principal do texto de Steve Jobs é o DRM (sigla em inglês para gerenciamento de direitos digitais). Trata-se de um software que restringe a troca de arquivos. Por exemplo, as músicas adquiridas no iTunes, a loja virtual da Apple, têm restrições quanto ao número de aparelhos em que podem ser tocadas.

Logo no começo da nota, ele diz que o DRM serve para proteger as músicas de "roubo".

Mas o tom muda quando ele sugere alternativas para o futuro. A mais polêmica: abolir qualquer tipo de DRM para as músicas.

O motivo é simples: nunca um sistema desse tipo conseguiu barrar o troca-troca na internet.

Além disso, não existe um sistema similar para CDs. Ou seja, qualquer disco pode ter as canções baixadas para o computador e colocadas na rede.

A nota ainda tem um dado para refletir: quatro empresas (Universal, Sony BMG, Warner e EMI) controlam a distribuição de 70% por cento da música mundial.

Colaboração de GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Rodolfo Lucena às 18h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sistemas operacionais

Vista x Mac OS X

A Newsweek publicou on-line uma entrevista com Bill Gates sobre o Vista, na sexta-feira passada.

Além de falar das benesses do novo Windows, o presidente do conselho da Microsoft diz, supreendentemente, que "hoje em dia, especialistas em segurança invadem Macs todos os dias. Todo santo dia, eles acham uma falha total, sua máquina pode ser totalmente controlada por eles. Eu desafio qualquer um a fazer isso uma vez por mês a um computador com Windows".

Um probleminha: ninguém sabe que falhas do Mac são essas às quais Gates se referiu. O repórter não questionou a afirmação na hora da entrevista, nem Gates se explicou depois, e ficou o mistério, segundo uma reportagem da Forbes.

Vale a pena ler a entrevista toda com Bill Gates; achei as respostas dele às perguntas sobre a Apple muito defensivas. Por exemplo, quando o repórter diz que recursos do Vista já existiam no Mac OS, Gates diz que se alguém quiser olhar, recurso por recurso, quem mostrou primeiro, Apple ou Microsoft, vai ver que não foi a Apple que inventou tudo.

Gates diz ainda que "talvez não devêssemos ter mostrado tão publicamente as coisas que estávamos fazendo, porque sabíamos o quanto ia demorar para fazer a nova base de segurança". Implícita está a afirmação de que foi a Apple que roubou idéias deles.

Enquanto isso, na segunda-feira a Apple lançou mais um comercial da série "Oi, eu sou um Mac", fazendo pouco da segurança do Windows Vista.

Escrito por Paula Leite às 18h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Gmail para todos

Os internautas brasileiros estão, a partir de hoje, dispensados de convite para se cadastrarem no serviço de e-mail do Google, o Gmail.

Até então, era preciso receber um convite para ter acesso ao correio eletrônico do buscador. O Gmail oferece 2,8 Gbytes para guardar mensagens e é integrado ao chat GTalk. O serviço é gratuito e em inglês.

Escrito por Mariana Barros às 17h54

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Convergência

Caixinha mágica

Os DVRs da TiVo, versões Series 2 e 3, vão distribuir vídeos do serviço Amazon Unbox, da loja on-line de mesmo nome. A novidade ainda está em testes nos EUA.

A Amazon vende ou aluga filmes e séries de TV de quatro dos seis maiores estúdios dos EUA; o TiVo funciona com várias TVs a cabo e tem 1,5 milhão de usuários.

É uma idéia muito boa, já que a caixinha do TiVo já acessa a internet e tem um disco rígido; por que não baixar filmes direto nela? Infelizmente, algo similar deve demorar a chegar no Brasil.

A notícia foi um furo do blog Gizmodo, sobre novidades da tecnologia.

Foto: Reprodução da página do Amazon Unbox

Escrito por Paula Leite às 13h16

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Alalaô no YouTube

Se você está resignado em não pular o Carnaval ou se prefere um programa mais sossegado do que as festas de rua, o YouTube também oferece um pouco de confete e serpentinas virtuais.

Confira abaixo alguns dos vídeos carnavalescos disponíveis no site e que foram publicados na reportagem da edição de hoje, na pág. F2.

Entre os mais imperdíveis, há um em que o atual governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, se rende ao samba e, principalmente, às passistas.

Schwarzenegger Gone Wild 

Boi-bumbá Caprichoso

Passeata do Boi-bumbá Garantido

Carnaval em Olinda

Bloco da Vila dos Tigres , de Ouro Preto

Bloco da Diretoria, de Ouro Preto

Sobrevôo em Salvador

“Pânico” no Gala Gay

Elizeth Cardoso recebe Cartola na TV Record

“Alvorada” no banheiro

Marchinha do Zé do Caixão

Chico Buarque canta “Vai Passar” no “Baú do Chacrinha”

Bloco Cordão do Boitatá, no Rio de Janeiro

Bloco Vai Quem Quer, na Praça Benedito Calixto, em São Paulo

Escrito por Mariana Barros às 23h06

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mercado

O retorno de Dell


Foto Barry Sweet/Bloomberg News


Quando se pensa em uma marca, a primeira coisa que vem à cabeça é seu logotipo. Mas, por trás desses símbolos, existem executivos decidindo o presente e o futuro dessas empresas.

Em alguns casos, a ligação entre a empresa e seus dirigentes é tão profunda que eles mesmos se tornam uma espécie de logotipo.

Assim é a relação entre Michael Dell e a Dell, empresa fundada por ele em 1984 e que ele liderou até 2004, quando se tornou uma espécie de conselheiro sem participação direta nas decisões da companhia, deixando o comando a cargo de Kevin Rollins.

Agora, em 2007, Michael Dell volta a assumir o posto de CEO para tentar uma espécie de ressurreição da empresa que fez nascer, sob o conceito (ainda mantido) de produzir computadores sob demanda e diretamente para os clientes, sem intermediários.

No ano passado, a Dell perdeu a liderança que mantinha há anos na indústria de computação para a rival HP, que a ultrapassou pela primeira vez em vendas de PCs.

Segundo o IDC, no último trimestre de 2006, a Dell ficou com uma fatia do mercado mundial de 15%, enquanto a HP mordeu 18%.

A Dell enfrenta ainda a acusação de ter omitido dados financeiros e inflado os lucros oficialmente divulgados.

Neste ano, porém, talvez a empresa vislumbre um panorama mais animador, especialmente no Brasil.

Sua boa aceitação no país a encorajou a abrir uma segunda fábrica, além da que já possui em Eldorado do Sul, no Rio Grande do Sul.

O anúncio sobre as novas instalações, que ficam em Hortolândia, em São Paulo, foi feito em setembro passado, em Nova York, quando a Dell convidou um grupo de jornalistas latino-americanos para conhecer as primeiras máquinas da empresa dotadas de processadores da AMD.

Na ocasião, tive a oportunidade de participar de uma coletiva com o próprio Michael Dell. A primeira coisa que me chamou a atenção é que Dell é um homem de mãos grandes --possíveis indícios da ambição que impulsionou a tranformar uma fábrica que atendia pedidos por telefone em uma das maiores empresas de computação pessoal do mundo.

Michael Dell é dono de respostas secas e diretas, mas, ainda assim, de uma maneira carismática de falar sobre a própria empresa.

Perguntei a ele qual era sua opinião sobre uma possível reeleição do presidente Lula, já que estávamos às vésperas da disputa presidencial e o resultado do pleito poderia trazer conseqüências à empresa e a seus planos de expansão por aqui. Dell disse apenas que não votava no Brasil.

Questionei-o ainda se a inédita união entre Dell e AMD teria sido uma resposta à também inédita parceria entre Apple e Intel, realizada meses antes. Até então, a Intel fora sua fornecedora exclusiva de processadores.

Ele se limitou a dizer que não poderia falar por outras empresas e que a razão da parceria entre Intel e Apple deveria ser perguntada a cada uma delas.

A transição no comando da empresa coroa uma verdadeira dança das cadeiras vivida pelo mercado de computação e que agora segue numa nova etapa: a ocupação da cadeira de CEO da Dell por Michael Dell. A expectativa é que a música prossiga, de preferência, em um tom mais melodioso.

Escrito por Mariana Barros às 16h40

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Blog ou propaganda?

O Consumerist, um blog de defesa dos consumidores, fez uma votação para eleger o melhor blog falso de 2006. O vencedor foi o Alliwantforchristmasisapsp.com, cujo nome significa "Tudo o que eu quero de Natal é um PSP".

Supostamente, era um site de um garoto cujo amigo queria ganhar um PlayStation Portable de Natal. Na verdade, era um site de propaganda para o console, pago pela Sony.

Internautas descobriram a farsa e a Sony teve que tirar o site do ar, mas uma cópia do site está aqui.

Também concorreram ao "prêmio" blogs falsos do McDonald’s e do Wal-Mart.

Os blogs que fingem ser de pessoas comuns, mas na verdade são escritos por publicitários e pagos por empresas, têm sido rapidamente desmascarados pelos internautas.

Escrito por Paula Leite às 17h19

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Apple vs. Apple

Aparando arestas

A Apple dos computadores e do iPod fechou acordo com a Apple das músicas dos Beatles para a definição de quem pode usar o nome Apple.

Ficou assim: cada um como seu cada qual e pronto, saíram todos amigos.

Agora, vamos ver quando (e se) as músicas do Quarteto Fabuloso vão entar no iTunes.

Escrito por Rodolfo Lucena às 14h45

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Conteúdo interativo

Caminhada da humanidade

Além da qualidade da imagem, uma das vantagens do vídeo digital é o poder de criação de conteúdo interativo.

Um exemplo é o documentário para internet "Becoming Humans" (Tornando-se humanos).

O projeto mostra a história da evolução do homem, campos de pesquisa arqueológica em mapas interativos e detalhes anatômicos. O internauta dita o ritmo da apresentação e o caminho a seguir.

Mandado pelo colaborador GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Rodolfo Lucena às 13h14

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Big Brothetr mesmo

Google em tudo

O documentário "Master Plan - About the Power of Google" vai fazer a cabeça dos usuários _pelo menos daqueles que se envolvem com teorias da conspiração.

O filmete mostra a evolução do buscador, como a privacidade dos internautas é invadida pelo Google e como a empresa, supostamente, poderia montar um superbanco de dados que incluiria até detalhes genéticos de cada ser humano conectado à rede.

A obra é a tese de bacharelado de Ozan Halici e Jürgen Mayer para a Universidade de Ulm, na Alemanha.

Mandado pelo colaborador GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Rodolfo Lucena às 13h12

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Wikipedia

Mundo estranho

Uma das vantagens de ser uma enciclopédia aberta à edição do público é que os assuntos são os mais variados na Wikipédia.

Um dos artigos, por exemplo, reúne uma lista com dezenas de verbete incomuns, separados por categoria.

Neles, você descobre tudo sobre as mortes relacionadas com partidas de xadrez ou os modernos banheiros japoneses, por exemplo.


Mandado pelo colaborador GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Rodolfo Lucena às 13h10

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

YouTube perderá 100 mil clipes

A polêmica envolvendo a retirada do vídeo protagonizado pela apresentadora Daniella Cicarelli ficou pequena perto das novas restrições que o YouTube está às portas de enfrentar.

A Viacom, detentora dos canais MTV, VH1 e Nickelodeon e dos estúdios Paramount, exigiu a retirada de 100 mil clipes de conteúdos produzidos por ela e que estão hospedados no YouTube sem a devida autorização.

Apesar da solicitação, a empresa agradeceu em nota a audiência de internautas que a ajudou a popularizar seus programas.

Escrito por Mariana Barros às 09h26

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet mobilizada

Violência exposta

"Luis Fernando de Miranda Magalhães, 27 anos, foi morto a tiros por volta das 22h", dizia há pouco o site Riobodycount, que contabilizava 41 mortos e 28 feridos desde o dia 1º passado, quando o site foi lançado.

Os criadores, o analista de sistemas Vinicius Costa, 25, e o cartunista André Dahmer, 32, dizem que pretendem chamar a atenção para a violência na Cidade Maravilhosa, pois acreditam que o Rio já está insensível à brutalidade cotidiana.

Eles se inspiraram no site Iraq Body Count, criado em resposta à declaração do general norte-americanoq Tommy Franks, que disse que as forças de seu país não fariam contagem de cadáveres.

Escrito por Rodolfo Lucena às 19h18

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Política de mercado

Ataque ao Google

Algumas das maiores empresas de telefonia da Europa vão sentar-se à mesa nesta semana para discutir a criação de um mecanismo de busca para celulares que possa desafiar os gigantes norte-americanos Google e Yahoo!.

O objetivo, claro, é ganhar uma parcela maior do mercado publicitário internético.

Algumas das companhias que participam do debate já têm acordos com o Google ou o Yahoo! na área de buscas no celular.

Escrito por Rodolfo Lucena às 18h53

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Leitura dominical

Onde está a Justiça

A coluna de Elio Gaspari, na Folha de hoje, não trata dos temas costumeiramente abordados neste blog, mas é extremamente educativa. Com o título "O viés dos juízes pelos pobres é lenda", apresenta o resulta de pesquisas que analisaram e contabilizaram decisões judiciais em São Paulo e mais 16 Estados.

A coluna, na íntegra, está AQUI (para assinantes da Folha e/ou do UOL), mas dou a seguir uma palhinha que apresenta a questão:

"Se dois litigantes buscam a proteção de uma mesma lei, aquele que está no andar de cima tem até 45% mais chances de sair vitorioso. Se o contrato favorece o forte, tende a prevalecer. Quando favorece o fraco, esgarça. (...)

"Quando uma das partes pertence ao andar de cima local, tem entre 26% e 38% mais chances de prevalecer do que um grande grupo nacional ou internacional. (...) Quanto maior a desigualdade social numa região, maior é o conforto do poderoso."

Escrito por Rodolfo Lucena às 09h31

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

San Francisco

Contra o Wi-Fi

Na sofisticada e tecnoletrada San Francisco, há quem torça o nariz para internet sem fio de graça para todos.

Os planos do prefeito Gavin Newsom de oferecer uma rede Wi-fi em toda a cidade, num projeto bancado pela EarthLink e pela Google, estão recebendo críticas e gerando resistência.

Para os críticos, se o próprio município bancasse o projeto, o serviço seria melhor e mais confiável, além de proteger mais a privacidade dos cidadãos.

Chegou a ser formada uma espécie de força-tarefa anti-Wi-FI, que fica mandando cartas (é, elas mesmas, aquelas, escritas à mão) para o povo que vai analisar e votar o projeto.

Escrito por Rodolfo Lucena às 15h17

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Insegurança do Vista

Começou

A Microsoft admitiu que o recurso de reconhecimento de voz do Vista pode abrir caminho para o "seqüestro" da máquina, que poderia receber comandos para deletar arquivos ou pastas, por exemplo. O problema seria o ataque com arquivos de som disponíveis em sites de ciberbandidos ou enviados pro e-mail.

A Microsoft disse, segundo relata a BBC, que esse tipo de exploração maliciosa seria "tecnicamente possível", mas que ninguém precisa se preocupar com isso.

A empresa destaca que, para a falha ser aproveitada, os recursos de reconhecimento de voz devem estar ativados e configurados e tanto microfone quanto caixas de som precisam estar ligados.

Além disso, os comandos de voz não podem ser usados para funções privilegiadas, como formatar o disco ou criar um novo usuário do sistema.

Alguns usuários já testaram a possibilidade e conseguiram apagar pastas e limpar a lixeira, deletando permanentemente os arquivos que lá estavam.

Segundo a Microsoft, mesmo que o computador recebesse tais ordens, dificilmente o usuário não estaria na sala para ouvir o comando malicioso e dar a contra-ordem. E eu pergunto: e se o cara tivesse ido ao banheiro?

 

Escrito por Rodolfo Lucena às 11h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Imagem digital

Além da imaginação

O concurso Woth1000, de criações feitas no programa de edição de imagens Photoshop, apresentou uma série de imagens envolvendo a Apple e seus produtos.

Braço humano com iPod embutido, máquina de lavar e até torradeira com o design da marca estão entre as produções, que também contaram com um vaso sanitário no estilo do tocador iPod (acima), em que é possível escolher entre o número um, o número dois ou ler jornal. Veja outras criações no site do concurso.

Escrito por Mariana Barros às 11h11

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Internet

Versão brasileira


(Foto publicada no Flickr)

O Yahoo! anunciou que lançará adaptações brasileiras de alguns de seus principais serviços on-line.

O site de compartilhamento de vídeos Yahoo! Video, o site de compartilhamento de endereços favoritos de internet Del.icio.us e o site de publicação de fotos Flickr estão entre os que ganharão edições nacionais, previstas para entrarem no ar ainda neste semestre.

Escrito por Mariana Barros às 10h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Segurança

Phishing em alta

Pesquisa da empresa de segurança na internet MessageLabs mostra que os e-mails de phishing ultrapassaram os de vírus pela primeira vez em dezembro. Os e-mails de phishing dizem ser de bancos ou sites de compras e tentam levar o usuário a um site falso, que rouba senhas e outras informações que a pessoa digitar. Os e-mails de phishing foram 1,1% do total de e-mails, enquanto os de vírus foram 0,8% do total.

Segundo especialistas, os sites de phishing estão cada vez mais sofisticados, para contornar medidas de segurança implantadas pelos bancos como os chaveiros que exibem uma senha provisória que muda continuamente ou os cartões com várias senhas.

A Febraban tem dicas de como se manter seguro ao usar o internet banking. Uma boa dica é nunca acessar o site do banco clicando em links em outras páginas ou em e-mails; sempre digite o endereço na barra do navegador e sempre verifique que digitou corretamente antes de digitar senhas.

Escrito por Paula Leite às 20h01

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mercado

MacAtaques

Mal chegou o Vista, e a Apple já colocou no ar, na TV norte-americana, anúncios atacando o rival.

Em um deles, o personagem PC, velhusco e gordinho, está hospitalizado e conta que vai passar por uma importante cirurgia para se transformar no Vista. E, enquanto caminha lentamente, diz para o personagem Mac, modernoso e em boa forma, que ele pode ficar com seus periféricos, caso o pior aconteça.

No site da Apple, a empresa provoca: “Por que ir para o Vista se você pode ir além?”

Escrito por Rodolfo Lucena às 15h04

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Casa Branca

Gelo no aquecimento global


A Casa Branca parece querer esfriar a discussão sobre aquecimento global. O aviso foi postado no blog de James Annan, que se diz um cientista baseado no Japão que se dedica à previsão do tempo.

O cara foi até o site da Casa Branca, a sede do governo norte-americano, e buscou por “global warming”. Em resposta, apenas um tópico.

Só que a censura ao assunto não chegou ao Google, e a busca feita com o famoso buscador, dentro do mesmo site, encontrou 438 resultados.

O blogueiro testou outras buscas, e percebeu que a diferença de resultados foi só para o tema espinhoso para Bush.

Mandado pelo colaborador GUSTAVO VILLAS BOAS

Escrito por Rodolfo Lucena às 14h24

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pensata

Santos Dumont do wireless

Na última terça-feira, a convite da Folha, o pesquisador Hilton Garcia Fernandes, do Núcleo de Tecnologias sem Fio do Laboratório de Sistemas Integráveis da Poli-USP, contou um pouco sobre o início das redes sem fio. Hoje, a continuação dessa história apresenta os personagens envolvidos nessa criação.


Panorama das redes sem fio - 2a parte

Por Hilton Garcia Fernandes 

Quem inventou o avião: Santos Dumont ou os irmãos Wright? A posição mais moderna é a de que o avião não foi inventado por uma pessoa (ou duas), mas por todo um grupo. Importante é saber que o Brasil tinha um pesquisador nesse grupo criador.

 

É relevante notar que Santos Dumont tinha atitudes do software livre atual: na época, ele publicou em uma revista popular o projeto detalhado de um pequeno avião.


O que a invenção do avião tem a ver com redes sem fio? É que tivemos um Santos Dumont das tecnologias sem fio. Ele se chamava Roberto Landell de Moura e era um padre católico.

 

Há polêmica sobre se ele teria inventado o rádio, em vez de Guglielmo Marconi, oficialmente considerado o inventor.

 

De novo, o rádio foi o produto de vários pesquisadores em ciência e em tecnologia como Hertz, Tesla e Bose, entre outros. Pesquisadores como Marconi e Landell de Moura aplicaram teorias para criar tecnologia: recursos mais baratos, mais poderosos e mais práticos.

Partidários de Landell de Moura dizem que ele teria feito uma transmissão voz por rádio antes de Marconi e, por isso, seria o inventor. Partidários de Marconi e de candidatos russos e americanos contrapõem outros dados.

Importante é ver que no final do século 19 e no começo do século 20, outro brasileiro fez parte do estado da arte da pesquisa tecnológica.

 

Landell de Moura era mais atento a patentes do que Santos Dumont e registrou em seu nome três patentes nos EUA: um transmissor de ondas, um telégrafo sem fio e um telefone sem fio.

Landell de Moura estava mesmo à frente, pois telefones sem fio começaram a ser usados bem mais tarde, próximo da década de 50.

Outro ponto é que o talento de Landell de Moura não foi suficiente para criar no Brasil uma indústria que explorasse sua liderança tecnológica.

Escrito por Mariana Barros às 10h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

O Blog de Tec é uma extensão da cobertura sobre tecnologia da Folha. É produzido por Alexandre Orrico, Emerson Kimura e Rafael Capanema.

BUSCA NO BLOG


SITES RELACIONADOS

RSS

ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. � proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.